Mas afinal, o que é ansiedade?

Um dos conceitos de ansiedade é que é um estado psíquico de apreensão ou medo provocado pela antecipação de uma situação desagradável ou perigosa. A palavra “ansiedade” tem origem no latim “anxietas”, que significa “angústia”, “ansiedade”, de “anxus”, que significa “perturbado”, “pouco à vontade”, de “anguere”, que significa “apertar”, “sufocar”.

Mas como saber se eu sou ansiosa?

Acredito que cada um de nós conhece minimamente os aspectos de sua personalidade e é capaz de responder essa questão.

Minimamente todos nós sentimos ansiedade em momentos decisivos. Quer exemplos? Quando espera o resultado do vestibular, concurso público, na véspera do casamento, nascimento de um filho, ou outras circunstâncias da vida em que esse sentimento será encarado como uma reação normal do indivíduo. É esperado que eu e você tenhamos uma dose de ansiedade.

Ao contrário, se você tem perdido o sono, sente dores musculares e até dores de cabeça, sente que a expectativa exacerbada em relação ao futuro tem comprometido tua saúde emocional, é possível que você esteja sofrendo com esse sentimento. “A ansiedade”.

Quando a insegurança e o medo forem a palavra de ordem, é hora de trabalhar esse sentimento e descobrir como fazer da fraqueza em força.

Na bíblia já temos indícios que não fomos criados para temer nada, porque Deus fala: “Não te dei espírito de medo, mas de poder”. Portanto, não fomos destinados a andar ansiosos por coisa alguma. No entanto, o registro das experiências anteriores em circunstâncias semelhantes podem fazer nosso cérebro buscar e reviver a memória recente e o fato de concebermos a “ansiedade” como esse preconceito negativo, recarregamos nosso corpo com uma energia negativa.

A ansiedade pode ser uma carta na manga, um coringa, por que não?

Como assim? Fale mais sobre isso Munira!

Sim! Você pode transformar a sua ansiedade (limão) em sucesso (limonada).

Lembre-se, todas as coisas que são sua, podem ser usadas a seu favor. Nos negócios, quando estiver sob pressão, utilize a ansiedade como sendo sua super arma para estar atento às palavras e dar alertas para as portas abertas à sua frente, você terá maiores chances de sucesso, pois agirá preventivamente. Ouça seus instintos e dê velocidade e constância ao seu foco, isso fará você sentir-se seguro na negociação.

Lembre-se que em toda guerra temos direito ao despojo e que essa momentânea tribulação vai lhe gerar frutos e esse risco que requer enfrentar o medo pode dar certo ou não, vai com medo mesmo, afinal todos fazem isso.

Toda essa ansiedade vai ajudar a controlar seu tempo e poderá estimular a que você possa se preparar e precaver em direção a resultados assertivos que vão evidenciar suas competências e seu potencial para os negócios.

Usar a capacidade de pensar trazida pela ansiedade, para pensar na solução, inovação e quem sabe você possa criar um novo produto?

Nós somos animais racionais e você pode usar a ansiedade para observar o seu território e os outros indivíduos que dividem esse território com você, buscando padrões de semelhanças e de incompatibilidade para visualizar onde poderá flexibilizar, mudar, acrescentar e até mesmo excluir um comportamento que não seja adequado para o seu ambiente profissional.

Diga à fraqueza: Seja força! Quando estiver agitado, pense positivo, use essa energia a seu favor com desejo ardente, atraia o resultado que tanto anseia, dessa atitude podem ocorrer duas coisas: você desenvolverá novas habilidades e até redescobrirá as que estavam guardadas. A consequência disso é o autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

Fazendo minhas, as palavras do grande filósofo Sócrates: “conhece a ti mesmo”.

E nesse caso, lhe faço a seguinte pergunta: O que você decide fazer com sua ansiedade a partir de hoje? Vai deixar que ela permaneça sendo sua fraqueza, ou vai transformá-la em força?

O olhar do observador sempre vai alterar o resultado. Na dúvida, se olhe com amor.

Se você tem alguma dúvida sobre o tema, comente e mande um e-mail para o portal cm7. Aproveite e também compartilhe, isso vai ajudar a levar o conhecimento a outras pessoas.