Amazonas – Moradores e agricultores que trafegam, moram e trabalham em ramais no município de Rio Preto da Eva, a 80 quilômetros de Manaus, reclamam das péssimas condições de tráfegos dessas áreas. Onde carros ficam atolados e chegam até perder mercadorias.

Ano passado o Prefeito da cidade, Anderson Sousa (Pros), firmou um convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), por meio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no valor de R$ 17 milhões para recuperação de dez ramais no município, mas a situação dessas estradas continua péssima e impossível de trafegar.

Moradores dessas áreas e agricultores realizaram um protesto final do ano passado em frente à Prefeitura de Rio Preto cobrando melhorias.

Direito de resposta:

Nota de Esclarecimento

A PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO PRETO DA EVA, em observância ao art. 2º da Lei de n. LEI Nº 13.188/2015, apresenta direito de resposta, esclarecendo a população que a matéria divulgada pelo Portal do CM7 no dia 01.03.2018, está equivocada, uma vez que o vídeo se refere ao ramal do São Francisco e Dulivan Portela, que não são ramais do convenio celebrado com o governo federal referido pelo portal, e que na própria matéria onde apresenta a consulta feita ao Portal da Transparência do governo federal, os referidos ramais não estão na relação dos ramais que constam do convênio de n. 848335 no valor de aproximadamente R$ 17 milhões para recuperação de ramais, celebrado com o Município de Rio Preto e Ministério de Desenvolvimento, fazendo parte da relação os seguintes ramais:  MANAPOLIS, NOVO HORIZONTE, SETE, MIRITI, BARCELONA 1, PEDREIRA, BOA SORTE, CASA BRANCA, CUECA e TUMBIRA. Quanto a execução dos ramais, quase todos estão com mais de noventa por cento de conclusão do trabalho, o município tem 819 km de estrada vicinais (ramais) e no ano passado foram asfaltados 62 km pelo Estado, recuperados 200 com Incra e Prefeitura e com recursos próprio se fez 100 km. Por fim, a Prefeitura de Rio Preto da Eva lamenta a atitude política da oposição de fazer denúncias infundadas a mídia com o intuito apenas de denegrir a atual administração.