O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu a prisão preventiva do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Mato Grosso, Waldir Júlio Teis, alegando riscos à saúde por conta do novo coronavírus. Teis foi preso no início de julho ao ser flagrado fugindo da Polícia Federal (PF) pelos fundos do seu escritório para jogar cheques no lixo durante mandado de busca e apreensão.

Na decisão publicada nessa sexta-feira (31/07), o ministro afirmou que os crimes supostamente cometidos por Teis não representam grave ameaça e optou por deferir medidas cautelares, como o comparecimento ao tribunal mensalmente e não se comunicar com outros investigados.

Na visão de Toffoli, pelo suspeito ter 66 anos e hipertensão, a prisão indica um risco ao conselheiro. “É público e notório que os números sobre a doença pandêmica no estado do Mato Grosso têm aumentado “, disse, na decisão.

Com uma semana preso, Teis chegou a pedir por um trabalho dentro da unidade, o que foi negado por falta de vagas. A saída da detenção estava prevista para este sábado (1/8)