Manaus – Medidas de prevenção e controle para a população em geral como lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos ou, na falta de água e sabonete, utilizar álcool em gel, foram algumas das precauções padrões citadas em encontro com representantes do Polo Industrial de Manaus (PIM), Comércio e setor Agropecuário, realizado hoje (7), para alinhar estratégias de prevenção contra o Coronavírus, com técnicos da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Fundação de Vigilância Sanitária (FVS) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), no auditório Ariovaldo Fontes na sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas).

De acordo com a diretora da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS/AM), Rosemary Costa Pinto, até o momento não há comprovação de que o novo coronavírus esteja circulando no Brasil, mas devem ser reforçadas ações preventivas diárias que possam auxiliar na prevenção de propagação de vírus respiratório.

“As empresas devem preparar material explicativo para conscientizar a todos, providenciar álcool gel e atentar para aqueles funcionários que estão gripados. A pessoa com sintomas gripais não deve trabalhar, deve ficar em repouso. O prejuízo de ter um funcionário afastado é ruim, mas ter um setor inteiro é pior”, frisa Pinto.

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Nelson Azevedo, disse que as empresas já estavam recebendo orientações para que tivessem cuidado ao receber pessoas da Ásia de modo geral, e em particular da China, do epicentro de onde está acontecendo isso, mas com a iniciativa do Governo do Estado, Prefeitura de Manaus e das empresas, enfim de todo mundo, expandido as orientações para todos, tem uma maior segurança, para que evite maiores consequências para o nosso estado.

A Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, dispõe sobre medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019, no qual expõe entre outras ações de segurança além de lavar as mãos e o uso de álcool gel, o uso frequente de máscara cirúrgica e lenço de papel, esse em caso de tosse, espirros e secreção. “Andar com máscaras na bolsa ou nos bolsos deve ser obrigatório, o cuidado deve ser seu, em primeiro lugar”, disse a diretora do FVS.

A diretora alerta para que as pessoas não fiquem preocupadas apenas com o coronavírus, mas também com os vírus domésticos como Influenza A (H1N1 e H3N2) e Influenza B, por exemplo. No final de 2019 até a primeira semana de fevereiro de 2020 já somam 22 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), no qual 8 óbitos com vírus identificados e 14 não específicos.

“Nós já começamos a quinta semana, conforme calendário epidemiológico da saúde, com epidemia, nossa curva está fora do padrão de normalidade. Vamos nos preocupar com o Coronavírus? Vamos. Mas vamos nos preocupar com os nossos vírus domésticos. Estes estão circulando, estes estão matando”, disse Pinto.

A preocupação por parte das empresas é ter que receber pessoas de fora, principalmente vindas da China, como relatou o gerente de pesquisa e desenvolvimento da Salcomp, Franklin Magalhães, que está há mais ou menos uma semana à espera da liberação de técnicos chineses para montagem de equipamentos, também chineses, para andamento de uma linha de produção.

“Não podemos fazer nada sem a vinda deles, pois os equipamentos são chineses, eles precisam montar, não tem como fazer a distância. Foi feito um adiamento da vinda deles, mas logo, logo o nosso cliente irá querer a sua linha de produção em funcionamento, precisamos de orientação para saber como proceder”, disse Magalhães.

Nesse caso, de acordo com a diretora da FVS, o melhor a ser feito, se possível, é trazer os técnicos e isolá-los, não precisamente em um hospital, mas em um local que não tenha mais acesso a nada e nem a ninguém, pelo menos em um prazo de 14 dias, em quarentena. Isto é o ideal de acordo com a profissional. Ela explica que cada caso é um caso, em caso de dúvida, a FVS deve ser acionada.

Em caso de suspeita, a notificação deve ser em até 24 horas a partir do conhecimento de caso que se enquadre na definição de suspeito.

SESI Amazonas realiza vacinas em parceria com a Semsa

O Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), disponibiliza aos industriários e seus dependentes, doses de vacinas gratuitas de Antitetânica, Febre amarela, Tríplice viral, Hepatite B.

De acordo com o gerente da área Técnica de Segurança e Saúde no Trabalho (SSI), Cláudio Palheta, a empresa deve entrar em contato com o SESI pelo e-mail imunizacao@sesiam.org.br e solicitar a equipe de profissionais em sua empresa.

Caso o trabalhador queira ir ao SESI, pode se deslocar até as unidades do SESISAÚDE localizadas no centro, na Av. Getúlio Vargas, 1119, e na Unidade Leste – SESIClube, na Alameda Cosme Ferreira, 7.399, São José I.

O trabalhador da indústria interessado em receber a imunização contra a gripe, por um valor diferenciado, deve entrar em contato por meio de sua empresa com o setor de Relações Com o Mercado (RCM) e solicitar uma visita.