Empresas brasileiras que não quiseram abrir ações na Bolsa em 2022 já somam R$ 7 bilhões

Por Henrique em 11 de janeiro de 2022 às 8:42 | Atualizado 11 de janeiro de 2022 às 8:42 Empresas brasileiras que não quiseram abrir ações na Bolsa em 2022 já somam R$ 7 bilhões

Economia – Nos 10 primeiros dias deste ano, 5 empresas desistiram de abrir o capital na B3 –bolsa de valores brasileira–, segundo levantamento do jornal O Estado de São Paulo. Somadas, as operações de IPO (sigla em inglês para oferta inicial de ações) deveriam movimentar em torno de R$ 7 bilhões.

As empresas são:

Dori Alimentos, fabricante de doces, balas e snacks;

Ammo Varejo, dona da MMartan;

Environmental ESG Participações, companhia de gestão de resíduos;

Vero, provedora de internet;

Monte Rodovias, que opera concessões no Nordeste.

A abertura das ações da Environmental ESG Participações, da Ambipar, deveria movimentar em torno de R$ 3 bilhões. Já a Ammo Varejo –controlada pela Coteminas, fundada pelo ex-vice-presidente da República José Alencar– planejada captar ao menos R$ 700 milhões.

A Monte Rodovias realizaria IPO com oferta primária. Os recursos seriam usados no pagamento de dívidas, reforço do caixa e aquisições de outras companhias. A oferta pelas ações da Vero deveriam movimentar R$ 1 bilhão.

A Dori Alimentos já havia pedido à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), em outubro de 2021, a suspensão do IPO. Agora, desistiu de abrir suas ações. A operação deveria movimentar R$ 1 bilhão.

Assim como a empresa, outras companhias solicitaram à CVM a suspensão, o que pode fazer com que o número de desistência cresça nas próximas semanas. Entre elas:

Cenconsud, rede de supermercados;

Fulwood, incorporadora de galpões e condomínios;

Interplayers Soluções Integradas, que atua no mercado de saúde e bem-estar;

Ish Tech, empresa de cibersegurança;

Claranet Technology, empresa de cibersegurança.

Deixe seu comentário