Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, reverteu o sinal e caiu mais de 2% após o aviso de que Moro deixará o governo caso Bolsonaro troque o diretor-geral da Polícia Federal. O Ibovespa, principal índice do mercado de ações do Brasil, chegou a cair mil pontos logo depois da notícia, voltando ao patamar de 78 mil pontos. No início do dia, a Bolsa operava em alta e chegou a subir 1,5%.

Já o dólar bateu novo recorde após a repercussão do pedido de demissão de Moro, ao alcançar a máxima nominal (quando não se desconta a inflação) de R$ 5,51. Além das incertezas envolvendo o ministro, também influencia a moeda a possibilidade de redução de 0,75 ponto da Selic, a taxa básica de juros da economia. Vale destacar que a diminuição drástica da taxa, hoje em 3,75 ponto percentual, afasta o investidor estrangeiro do País, pois interfere diretamente nos rendimentos.

Uma escalada para o ativo já era prevista. Nesta quinta, o dólar começou em alta de quase 1%, a R$ 5,42, e recuou para R$ 5,40 somente após uma ação do Banco CentralNo entanto, já no final da manhã, ele tornou a subir e ficou acima de R$ 5,45. No final da tarde, às 16h, a moeda subia a R$ 5,49 – apenas 17 minutos depois, ela alcançou os R$ 5,50.

Fonte:  Metropoles