Manaus 27º
quinta-feira - 2 de dezembro de 2021

‘Elogio Falsiane’: Gilmar Mendes parabeniza André Mendonça no STF mesmo conspirando contra indicação

Compartilhe
"Elogio Falsiane": Gilmar Mendes parabeniza André Mendonça no STF mesmo conspirando contra indicação

Brasil – Na manhã desta quinta-feira (2/11), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes deu os parabéns ao novo integrante da Corte, André Mendonça. A declaração foi feita pela rede social Twitter. No entanto, o fato soa irônico pela inércia do ministro Gilmar não ter cobrado medidas sobre o atraso à sabatina de Mendonça ao senador Davi Alcolumbre (DEM), postergada por 5 meses.

Confira:

Em seu perfil oficial, o decano do Supremo teceu enormes elogios ao futuro colega, que teve sua indicação aprovada pelo Senado na quarta-feira (1º/11). Além de Mendonça, o ministro Gilmar também elogiou o trabalho dos senadores, que conduziram a votação na CCJ e no Plenário da Casa.

“Parabenizo efusivamente o Ministro André Mendonça pela aprovação ontem no Senado Federal. A Casa da Federação também cumpriu seu importante papel de escrutinar a carreira brilhante do Ministro André, que certamente terá uma trajetória marcante no Supremo Tribunal Federal”, disse Gilmar Mendes.

Não fazia questão

Por trás de elogios, no entanto, o ministro Gilmar pode ter agido como um dos atores que conspirou intencionalmente o atraso à sabatina do ministro Mendonça. Segundo senadores e ministros de tribunais superiores que possuem boa relação com Gilmar Mendes, o veterano passou o último recesso do Judiciário em Portugal sem se preocupar ou empenhar qualquer esforço que auxiliasse André Mendonça a conseguir apoio no Senado durante o período de postergação do senador Davi Alcolumbre (DEM).

Agindo contra

Em Portugal, o ministro Gilmar Mendes foi o grande organizador 9º Fórum Jurídico de Lisboa. Em viagem ao evento, segundo a imprensa nacional, André Mendonça ficou deslocado e isolado. Gilmar Mendes não deu a menor atenção sobre a “enrolação” em marcar a sabatina no Senado, mesmo com o próprio Davi Alcolumbre estando lá.

Além disso,  a temática de maior repercussão do Fórum de Gilmar foi a agenda semipresidencialista. A pauta tem por objetivo articular sobre como restringir ainda mais os poderes do cargo do Chefe do Executivo. Ações de autoridade do posto do Presidente da República como indicar ministros ao STF, poder de veto sobre Projetos de Lei e chefiar as Forças Armadas, podem (e se depender da esquerda, vão) ser diretamente comprometidos.

No atual contexto, em que alguns representantes do Supremo Judiciário tem usurpado sua função e se intrometido no processo Legislativo, atuando como ativistas, o semipresidencialismo seria a grande cartada da esquerda.

Instrumentalização 

Um sistema semipresidencialista ‘tupiniquim’ tornaria o cargo da presidência da República um ofício de marionete, preso às amarras do próprio sistema e sem mais nenhum poder prático de mudança via atuação política.

Sem tais poderes, por exemplo, o atual presidente Bolsonaro jamais conseguiria indicar alguém como André Mendonça, um jurista de cosmovisão cristã que quer resgatar o papel de austeridade do Poder Judiciário e a harmonia com o Poderes Legislativo e Executivo.

 

Com auxílio de informações factuais via Metrópoles | Gazeta Brasil | Gazeta do Povo

Deixe seu comentário