Quando o ator britânico Stephen McGann tuitou, dias antes do Natal, sobre pessoas que pressionam os outros a tomarem bebidas alcoólicas, ele recebeu um grande apoio nas redes sociais.
A mensagem, segundo McGann, era um “rápido pedido sazonal”: “Eu escolho não beber álcool, mas conheço muita gente que não pode beber por questões relacionadas à dependência. Essa é uma temporada difícil para eles”, escreveu, dando, no mesmo post, o que chamou de dica. “Se alguém recusar educadamente uma bebida alcoólica, não insista.”
McGann afirmou ter ouvido relatos de muitas pessoas sobre a “angústia” que sofrem ao serem incitadas a beber no Natal. “Se você não bebe, por razões de saúde ou dependência, então imagine como é difícil ser pressionado.”
O ator tem 55 anos e parou de beber há 18, depois de treinar para fazer uma trilha beneficente. “Eu cresci no Norte, naquela cultura da cerveja, onde você se sentava no pub para ficar de bexiga cheia. Agora (sem beber), eu não tenho ressaca e gosto de ser o motorista da vez”, diz ele.
McGann disse ficar irritado e indignado se alguém tenta lhe empurrar uma bebida. “A bebida alcóolica é arraigada demais na nossa cultura. Recentemente eu estive em um lugar onde o garçom pôs um copo de vinho na minha mão antes mesmo de eu cumprimentá-lo. E se eu fosse um alcoólatra em recuperação?”, observa ele.
O escritor Matt Haig, de 43 anos, que escreveu sobre suas lutas com a depressão no best-seller “Reasons to Stay Alive” (“Razões para Continuar Vivo”, em tradução livre), descreve-se como parcialmente abstêmio – ou seja, como alguém que às vezes não bebe.

Fonte: G1