Brasil – Nenhum tutor gosta de ver seu filho de quatro patas doente. Embora desenvolver algum problema de saúde ao longo da vida seja inevitável, algumas doenças podem, sim, ser mantidas à distância, com a ajuda de medidas preventivas. É para isso que serve a vacina para cachorro.

Parte fundamental da chamada medicina veterinária preventiva, a vacinação para cães começa nos primeiros meses de vida do filhote e deve ser reforçada anualmente.

Na infância, quando o sistema imunológico do pet não está completamente desenvolvido, ela é ainda mais importante para deixá-lo protegido contra doenças graves e até fatais. Vamos conhecer o calendário de vacinação dos filhotes? 

V8 e V10: do que protegem as primeiras vacinas caninas?

Também conhecidas como vacinas múltiplas ou polivalentes, V8 e V10 são vacinas fundamentais e que correspondem à primeira vacina do cachorro, aumentando a resistência deles a algumas das principais doenças virais e bacterianas. São elas:

Cinomose: infecção viral que afeta principalmente o sistema nervoso;
Parvovirose: causa diarreias intensas e com sangue, que podem levar à desidratação;
Coronavirose: também causa diarreias e desidratação;
Hepatite infecciosa canina: compromete o fígado do cachorro;
Adenovirose: ocasiona gripes que podem evoluir para quadros de pneumonia;
Parainfluenza: o tipo II é responsável por problemas respiratórios, como pneumonia;
Leptospirose: seus sintomas incluem vômitos, diarreias, hemorragias, dificuldades respiratórias, insuficiência renal e hapática, entre outros quadros graves. 

Diferentemente da vacina contra a raiva, a vacina polivalente deve, no primeiro ciclo de imunização, ser aplicada regularmente. Em geral, a primeira dose é administrada quando o pet tem entre 6 a 8 semanas de vida, com intervalos de 2 a 4 semanas entre as próximas doses, até o filhote atingir 16 semanas. Depois disso, aí sim, apenas uma dose deve ser administrada anualmente.

Vacina antirrábica: importante para os cachorros e para nós

Sem dúvida, a mais famosa entre as vacinas de cachorro é a que imuniza contra o vírus da raiva. Ela precisa ter a primeira dose administrada quando o pet ainda é filhote.

Além de deixar seu amigo protegido contra uma doença fatal em quase 100% dos casos, a vacinação também é uma questão de saúde pública, já que a raiva é uma zoonose (pode ser transmitida para os seres humanos, com consequências igualmente graves).

Não é à toa que os municípios se preocupam em fazer campanhas de vacinação para cães gratuitas, em geral no mês de agosto. 

A partir de 12 semanas de vida, o filhote já deve receber a vacina antirrábica. O reforço precisa ser feito anualmente, mas, em áreas de alto grau de exposição ao vírus (o que não acontece no Brasil), pode ser necessário um reforço após 6 meses da aplicação inicial.

Vacina para cachorro contra gripe, giárdia e leishmaniose em cães

Embora não sejam consideradas essenciais, existem outras vacinas que podem ser recomendadas pelo médico-veterinário quando o animal está exposto a um risco maior de contrair a doença. É o caso da vacinação de cachorro contra leishmaniose, gripe canina e giárdia.

Cachorros que passam muito tempo em locais fechados com outros cães ou que moram na região litorânea, por exemplo, devem ser. Imunizados contra a leishmaniose. 

Confira o calendário com as principais vacinas para cachorro  

E aí? Já conferiu e cumpriu o calendário de vacinação do seu filho de quatro patas? Agende já uma consulta na clínica Petz mais próxima a você e garanta a proteção do seu amigo! 

Fonte: Blog Petz.