Manaus- Na manhã desta terça-feira (3) , a Polícia Civil fez  buscas e apreensões em vários endereços de servidores públicos e empresários de Manaus,  mirando um suposto esquema de cobrança de propina dentro do programa SOS Funeral.

As investigações começaram após denúncias por parte de empresários de que para fornecer caixões para o programa teriam que pagar propinas que variavam  entre 10% e 20% do valor total do contrato de serviço.

A partir daí a Polícia Civil afirma que descobriu uma rede que envolve funcionários do município e empresas que fornecem as urnas. Os nomes dos alvos da Operação ainda não foram revelados.

Entenda o caso: Portal CM7 fez a denúncia ano passado

Um suposto esquema de pagamento de propina relacionado ao sistema funerário oferecido pela prefeitura de Manaus, o SOS Funeral, foi denunciado esta semana. Os serviços do SOS Funeral é destinado a população em situação de vulnerabilidade social e econômica. Porém, a suspeita da criação de uma rede de propina que estaria ocorrendo desde 2017. Na época, o titular da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), atual Semasc, era o vereador Elias Emanuel.

No áudio, gravado em 2018, um dos empresários envolvidos no esquema de corrupção cita o atual vereador Elias Emanuel (PSDB) como sendo um ótimo articulista na negociação, e, mesmo com pagamento de propina, ele conseguia fechar negócio. “Na época que trabalhei com o Elias, eu não tinha problema. Ele sabia das coisas”, relatou por áudio um dos denunciantes, afirmando que o ex-secretário tinha conhecimento dos esquemas.

Com a saída de Elias Emanuel, quem assumiu o cargo na mesma secretaria foi o pastor e vereador Dante Souza (PSDB). Dante passou a pedir propinas tão elevadas, que os donos das funerárias resolveram denunciar. O empresário Adauto Victor da Costa reclama que está com várias urnas paradas e, para entregar, precisa pagar uma propina em um valor altíssimo ao vereador. No outro áudio, Adauto afirma que já pagou mais de 100 mil reais à secretaria e acusa Dante de não cumprir com a parte dele. Lamenta que está no prejuízo e quebrado.

Ouça os áudios