Amazonas – Secretária de saúde Simone Papaiz, que está desde o dia 8 de abril, portanto três meses administrando a pasta, foi presa temporariamente por atrapalhar e dificultar o trabalho dos órgãos de controle que investigam desde o inicio da pandemia do covid-19, o superfaturamento de preços na compra de ventiladores mecânicos e dispensas de licitações por parte do Governo do Amazonas através da Secretaria Estadual de Saúde (Susam).

Ao receber voz de prisão dos policiais federais ela chorou e disse que enfrentou um tsunami de broncas. Teve sua demissão pedida pelo Tribunal de Contas e enfrentou duas operações policiais. Na mais recente realizada ontem (30), foi conduzida ao presidio estadual temporariamente. Segundo fontes do Governo, Papaiz, deve ser exonerada do cargo pelo governador Wilson Lima.

Uma lista com nomes de políticos, empresários, consultores e valores pagos foi um dos documentos apreendidos pelos agentes da Federal na sede do Governo. Essa lista é o que mais assusta parlamentares da base aliada.

Nenhum dos deputados ou senadores da base governista se pronunciou sobre a operação da policia federal.

Os deputados federais e senadores do Amazonas não postaram nenhuma linha sobre a operação ‘Sangria’ deflagrada ontem (30) pela Polícia Federal. Se depender da bancada do Amazonas, os desvios na saúde podem continuar sem problema algum e as filas de desesperados com pandemia ou não nas unidades públicas de saúde vai continuar.