Amazonas – No período pré-eleitoral prefeitos dos municípios de Nhamundá (Gledson Hadson Paulain Machado), Ipixuna (Maria do Socorro de Paula Oliveira) e São Gabriel da Cachoeira (Clóvis Moreira Saldanha ‘Clóvis Curubão’) juntos somam gastos de mais de R$ 3 milhões de reais em contratos e licitações para adquirir materiais de expediente, escritório e publicidade esses gastos foram publicados no Diário Oficial dos Municípios (DOM), que mostra os principais gastos e contratos das prefeituras do interior do Estado do Amazonas. 

Entretanto, o prefeito Clóvis Moreira Saldanha ‘Clóvis Curubão’, já tem uma determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), para não prorrogar os contratos milionários com publicidade no valor de R$ 1 milhão com a empresa DRJ Comunicações e Eventos Ltda, suspeita de superfaturamento.  Uma ação da Câmara Municipal do Município de São Gabriel da Cachoeira, atendida pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas.

Por outro lado, o prefeito de Nhamundá, Gledson Hadson Paulain Machado, pretende gastar R$ 1,2 milhão na compra de materiais de expediente para atender as necessidades da administração pública. Entre o s itens descritos no pregão presencial estão: agenda, calculadora, caneta, envelope, papel, régua, tesoura, entre outros. Portanto, a empresa B. Feijó Gonçalves – Me, que responde pelo nome fantasia e ‘Construcon’ e vai embolsar o montante R$ 1,2 milhão no contrato para o fornecimento desse material para a prefeitura.

Outra publicação no DOM, aponta superfaturamento e o mal uso do dinheiro público é o contrato da prefeitura de Ipixuna, Maria do Socorro de Paula Oliveira, pretende gastar R$ 1,2 milhão em compra de material de expediente para usar nas secretarias do município. Esse material deve ser providenciado por três empresas;  contratadas pela administração.