Holanda – Após ficarem três meses e meio sem poder trabalhar, as prostitutas da Holanda foram autorizadas a retomar suas atividades. A paralisação dos serviços ocorreu como medida para impedir a proliferação do novo coronavírus. A autorização foi expedida ontem (1°).

Apesar do retorno, as profissionais foram orientadas a evitar respirar perto ou beijar seus clientes. As dançarinas eróticas e as prostitutas não tiveram acesso aos programas de assistência social. Além disso, com a proibição das atividades a principal fonte de rende delas foi suspensa.

No entanto, o governo antecipou a volta das profissionais do sexo, que era prevista pra o dia 1° de julho. Durante o isolamento, setores como o Distrito da Luz Vermelha, em Amsterdã, famoso pelos shows de sexo e lojas de produtos eróticos, ficou deserto.

“Estou realmente ansiosa para voltar ao trabalho”, disse Moira Mona, uma profissional do sexo de 29 anos que se apresentará em um clube de sadomasoquismo esta semana. “A renda extra será bem-vinda, então, nesse sentido, espero um dia atarefado… embora não espere que seja tão cheio quanto antes da crise do coronavírus.”

Como forma de evitar novas contaminações, o governo local compilou uma lista de recomendações, incluindo posições sexuais a serem evitadas.

 

Fonte: Jbr