Amazonas – O governador do Amazonas, Wilson Lima, confirmou, nesta sexta-feira (06/03), a vinda de uma comitiva do Senado Federal ao Amazonas para discutir a Reforma Tributária e conhecer o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM). Além de representantes da bancada federal do Amazonas, integrarão a comitiva o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o relator da Comissão Mista da Reforma Tributária, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Wilson Lima adiantou que os deputados e senadores participarão de uma reunião de trabalho, após evento em uma empresa do polo de duas rodas, para discutir o modelo econômico. “Teremos uma reunião de trabalho para tratar dessas questões da Zona Franca de Manaus, que são fundamentais para a sobrevivência econômica do nosso Estado. Nós não temos nenhum modelo, a curto ou médio prazo, que possa substitui-la. Vamos apresentar o que o Estado tem feito nessa defesa, como a criação ano passado do Comitê de Assuntos Tributários Estratégicos (Cate), além da montagem de uma estrutura, em Brasília, para dar suporte aos parlamentares e profissionais que tenham interesse e possam nos ajudar nessa defesa”, destacou o governador.

Um time formado por técnicos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-AM) e especialistas na questão do Polo Industrial também ficarão a disposição para subsidiar a defesa do modelo. “Vamos pedir o apoio do presidente do Senado, que é um morador da Amazônia, que é um amazônida, morador do Amapá. Lá, inclusive, já é uma área de livre comércio e ele entende muito bem a importância desses incentivos que são dados pelo Governo Federal, então é alguém que em muitos momentos já fez a sua manifestação pública em relação à Zona Franca de Manaus e a gente quer mais uma vez ter esse apoio dele”, reforçou Wilson Lima.

Alerta – O governador salientou que a defesa da ZFM tem sido feita pelo Governo desde o início da gestão, ganhando forças com a montagem do Cate, cujo objetivo é assessorar as decisões do Executivo quanto à Reforma Tributária em tramitação no Congresso Nacional, bem como contribuir para as políticas públicas tributárias estaduais que envolvam a ZFM.

“É algo que tem me preocupado muito, eu tenho conversado muito com a bancada do Amazonas em Brasília. Na próxima semana vou reunir com as instituições do Estado do Amazonas, com o setor produtivo, para que a gente possa afinar esse discurso, mostrar o que o Estado está fazendo e, naturalmente, juntar forças, porque nós vamos ter um trabalho muito grande pela frente com essa guerra que há de cortar os incentivos da Zona Franca de Manaus”, destacou.

“Disso nós não abrimos mão, disso depende a nossa sobrevivência. Sem a Zona Franca de Manaus não sobrará sequer um ambulante nas ruas de Manaus, quanto mais às outras atividades que são mais especializadas. Hoje a Zona Franca de Manaus representa 80% do PIB do Estado do Amazonas. Sem isso o Governo Federal vai condenar o Estado do Amazonas à morte, à falência”, completou o governador.