Dantas desmente depoimento ao MPC e deputado Wilker vai pedir cópia de todos os processos de pagamento da Seduc para Dantas

O empresário Francisco Luiz Dantas, dono da Dantas Transportes, desmentiu o depoimento dado para o Ministério Público de Contas (MPC-AM) em que revelava o esquema de “mensalinho” e pagamentos à agentes políticos nos contratos firmados no valor de R$ 46 milhões entre a transportadora e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). A revelação ocorreu em depoimento a Comissão de Educação, na tarde desta quarta-feira (11), a portas fechadas na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

Autor do requerimento que pediu a convocação do empresário até à Aleam, o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) ficou decepcionado com o depoimento. “O que vi aqui foi uma crise de amnésia. Ou ele mentiu lá ou mentiu aqui. No que diz respeito a agentes políticos e públicos disse que a verdade foi dita aqui, o que resguarda a casa. Assim, solicitei ao presidente (da Aleam) Josué Neto que encaminhe aos órgãos de controle a gravação na íntegra desta reunião, para que não possa pairar nenhuma dúvida que a reunião foi de compadre”, declarou.

 

Wilker também ficou desapontado com a negativa do empresário que não falou sobre a contratação dos 1.487 monitores do transporte público no valor de R$ 18 milhões. “O empresário não respondeu as questões dos monitores. Ele disse pra mim: “não sei responder”. Isso é um mistério, não sabe dizer quantos monitores tem, é uma crise total de amnésia de um contrato de R$ 18 milhões. O contrato é terceirizado, quarteirizado, fragmentado, o que ele alegou foi que foi chamado cinco dias antes e que não deu tempo de montar uma estrutura, então porque pegou, colocando crianças em risco?”, ressaltou.

Requerimento aprovado

No final do depoimento do empresário, o deputado Wilker Barreto solicitou requerimento à Comissão de Educação da Aleam que pede a cópia de todos os processos de pagamento da Seduc para Dantas. A ação foi aprovada. “É importante que esse conteúdo chegue aos órgãos de controle, porque ou ele mentiu lá ou mentiu aqui. Por isso, solicitei e foi aprovado para que a Seduc encaminhe à Aleam todos os documentos de pagamentos referentes aos pagamentos dos seis meses”, destacou.