Manaus – O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) pautou o processo que pede a cassação do mandato e a inelegibilidade do ex-governador cassado José Melo, do ex-vice-governador Henrique Oliveira (Pros) e do deputado estadual Platiny Soares (PSB). Platiny lançou sua pré-candidatura à reeleição nesta quinta-feira, dia 19.

A pauta foi requisitada pelo corregedor eleitoral e desembargador Aristóteles Thury e publicada no Diário Oficial Eletrônico do TRE-AM nesta sexta-feira, dia 20. Isso significa dizer, que o caso pode recomeçar a ser julgado a partir da próxima semana em pleno período eleitoral.

O processo começou a ser julgado no TRE-AM este ano, após mais de três anos tramitando na corte. Mas o julgamento foi interrompido após o corregedor eleitoral se tornar presidente e o caso mudar de relatoria. A denúncia é uma das mais polêmicas relativa às eleições 2014 e envolve o uso da Polícia Militar em favor da candidatura dos três acusados.

“(O processo) está com a minha relatoria. Ainda vou estudar, estou analisando. Inclusive retirei da pauta para poder julgar. É muito longo. São sete ou oito volumes”, disse o desembargador. Quando questionado se o caso seria julgado antes das eleições deste ano, respondeu: “Não. Para a realização de uma boa eleição”, disse.

A denúncia feita pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) contra Platiny, Henrique e José Melo acusa o uso irregular da Polícia Militar do PM-AM durante a campanha eleitoral de 2014 em favor de Melo, Henrique e Platiny. No processo, há relatos de corrupção disseminada em vários níveis na corporação sob o comando e pressão do Governo do Estado.

Relatos de policiais ouvidos na ação, como o tenente-coronel Fabiano Machado Bó, o major Franciney Machado Bó e o ex-soldado e hoje presidente da Associação de Praças e Soldados do Amazonas, Gerson Feitosa, indicam que um comando paralelo foi formado durante o período eleitoral para organizar as irregularidades.

BNC