Senador Eduardo cobra ações para tirar Brasil da crise - Portal CM7 - Notícias de Manaus e Amazonas
Manaus - Amazonas - 16:17
25 de Maio de 2019



Senador Eduardo cobra ações para tirar Brasil da crise


“Estamos vendo que o discurso do mais Brasil, menos Brasília não passa de mera retórica do governo”. O senador Eduardo Braga ( MDB/AM ) não economizou nas críticas ao Executivo federal nesta quarta-feira (15/04). Segundo ele, faltam atos efetivos e explicações claras por parte do governo num momento em que é necessário tirar o Brasil da crise e em que a sociedade se mobiliza nas ruas em defesa da educação.

Em reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o líder do MDB no Senado alertou para os profundos erros de comunicação em relação ao contingenciamento dos recursos da educação e argumentou que o corte é resultado de medidas econômicas também mal esclarecidas. Em suas redes sociais, ele já tinha destacado que “um país que não aposta em educação é um país sem futuro”.

Eduardo Braga citou ainda, na CCJ, as dificuldades financeiras de estados e municípios, a greve dos professores do Amazonas e a paralisação dos cirurgiões do principal pronto-socorro de Manaus. Nesse momento de crise, insistiu, é preciso que o mais Brasil, menos Brasília seja de fato um ato de governo, o que não vem ocorrendo.

Sacrifício – O senador foi alėm, ao dizer que o Congresso não aceita ser responsabilizado pela atual crise. “Temos feito a nossa parte”, afirmou, antes de alfinetar o ministro da Economia, Paulo Guedes, por dizer que o Brasil chegou ao fundo do poço e que a saída da crise está nas mãos do Parlamento.

“É um argumento para pedir mais sacrifício ao povo brasileiro”, declarou Eduardo. “Não se discute a correção da tabela do Imposto de Renda, se diz que corrigir a tabela do Imposto de Renda é criar um rombo fiscal gigantesco. Toda vez que é para beneficiar aqueles que pagam tributos, o governo brasileiro olha e diz que é impossível, faz contenção e contingenciamento sem esclarecer a população”, completou.

Deixe seu like:

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA