O senador Eduardo Braga (MDB), foi  intimado pela Polícia Federal para depor nesta terça-feira (05) sobre o inquérito policial 4707 aberto em 2018 que investiga o suposto pagamento de propina do Grupo J&f, que controla a JBS, a parlamentares do MDB para apoiar o PT nas eleições de 2014.

Os mandados foram assinados pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). A PF também está fazendo busca e apreensão em endereços de empresários e supostos laranjas ligados a senadores e ex-senadores do MDB. Entre os alvos centrais da investigação estão o ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), Jader Barbalho (PA), Eduardo Braga (AM) e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rego.

O inquérito 4707 foi aberto com base nas delações premiadas do executivo Ricardo Saud, ex-diretor de relações institucionais do Grupo J&F e do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. A operação visa investigar denúncias de que 10 políticos do MDB (na época PMDB) teriam recebidos repasses em um valor total de R$ 40 milhões da empresa JBS. Desse valor, teria sido repassado ao senador Eduardo o total de R$ 5 milhões. 

No inicio do ano, o a procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a denúncia contra o senador Eduardo Braga, do MDB, e a ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), ambos do Amazonas, por crime eleitoral.

Braga e Vanessa são acusados de prestar falsa declaração à Justiça Eleitoral de R$ 2,35 milhões recebidos da empreiteira Odebrecht, via empresa Praiamar, nas eleições municipais de 2012.

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga nas eleições de 2018 foi considerado o 7º parlamentar mais rico do Brasil e o mais rico do Norte. Ele declarou à Justiça Eleitoral possuir R$ 31.624.764,32 (trinta e um milhões, seis centos e vinte e quatro mil, sete centos e sessenta e quatro reais e trinta e dois centavo).

Leia a intimação

Untitled_05112019_091632

Por meio de nota, os advogados do Senador Eduardo Braga falaram sobre a intimação. 

leia a nota na íntegra

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O senador Eduardo Braga recebeu esta manhã uma solicitação do Delegado Bernardo Amaral para prestar esclarecimentos no inquérito 4707 (STF). Já estabeleceu contato para ajustar a data. O senador sempre se colocou à disposição para colaborar com qualquer investigação. A cobertura midiática de hoje, talvez por sensacionalismo, talvez por desinformação, menciona fato que simplesmente não existiu, na medida em que nenhuma medida de busca e apreensão foi realizada na residência ou em qualquer outro endereço do senador Eduardo Braga.

José Alberto Simonetti
OAB/AM 3725
OAB/DF 45240

Fabiano Silveira
OAB/DF 31440