Amazonas – Há cerca de dois meses alertando para a vulnerabilidade da população indígena no estado do Amazonas, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) elogiou hoje a decisão do Exército brasileiro de enviar ontem 11 militares do Hospital Militar de Área de Brasília para  ações de emergência e atendimento do Covid-19 no hospital militar de São Gabriel da Cachoeira, região próxima da fronteira que concentra várias etnias. Em reunião com técnicos do BNDES Plínio defendeu o uso de recursos do Fundo Amazônia para a construção de um hospital de campanha na região do Alto Rio Negro, para atender indígenas que enfrentam graves problemas de locomoção para outros centros em busca de atendimento durante a pandemia. Mas a resposta do banco foi negativa.

 Eu venho alertando para a necessidade de um atendimento especial a essas comunidades indígenas há quase 60 dias. Fico feliz de saber que além de profissionais de saúde , o Exército está mandando também medicamentos e equipamentos para melhorar o atendimento do Hospital Militar de São Gabriel da Cachoeira _ elogiou Plínio Valério.

Há cerca de duas semanas, com base em dados alarmantes de estudo publicado pela Associação Brasileira de Estudos Populacionais (Abep) mostrando que  239 terras indígenas na Amazônia tem  índices de vulnerabilidade intensos ou altos em relação à Covid-19 , o senador Plínio Valério reforçou  apelo para que autoridades sanitárias dos governos federal e local implementassem  imediatamente políticas de isolamento e atendimento local dessas comunidades.

Pelo levantamento da Abep,  1.228 municípios brasileiros onde há ao menos um trecho de  terras indígenas, apenas 108 possuem algum leito de UTI. Além das terras indígenas, os pesquisadores avaliaram que seis Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) estão em situação crítica, todos eles nos estados da Amazônia Legal. Um deles é o Yanomami, em Roraima, onde está a terra indígena  de mesmo nome. Segundo a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), submetida ao Ministério da Saúde, o distrito já registrou uma morte: a de um menino Yanomami de 15 anos.

  A Noruega e Alemanha já doaram para o Fundo Amazônia uma quantia considerável, com mais de R$600 milhões no caixa do BNDES, que daria para construir hospitais de campanha com equipes médicas para atender os índios na região do Alto Rio Negro, onde se localizam suas terras. Mas diante da dificuldade em remanejar esses recursos pelo BNDES, o reforço do Hospital Militar de São Gabriel da Cachoeira já é um bom ponto de partida  _  avaliou Plínio Valério.