Manaus – Aliados do ex-governador Amazonino Mendes (Podemos), representantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, realizam seus trabalhos de forma parcial. Os deputados da oposição  Wilker Barreto (Podemos), Dermilson Chagas (Podemos) e Delegado Péricles (PSL), foram instruídos pelo ex-governador Amazonino Mendes (Podemos) e o senador Eduardo Braga (MDB) a acelerar o processo de impeachment do governador do Estado, Wilson Lima (PSC), e impor a instalação de Comissões Parlamentares de Inquéritos (CPIs) da Saúde e Educação para influenciar o Judiciário.

De acordo com os deputados, o objetivo das CPIs é investigar os gastos com a Saúde e Educação no estado do Amazonas, porém não passa de questões pessoais e fins eleitorais. No momento de pré-candidatura, os parlamentares, estão usando a CPI da Saúde para promover o ex-governador, manchando a imagem dos seus adversários.

Péricles executa os trabalhos ao lado do deputado estadual Wilker Barreto, principal aliado e estimulador da candidatura de Amazonino Mendes a prefeitura de Manaus nas eleições deste ano. O suposto interesse do delegado em não investigar a gestão da saúde na época de Amazonino (governo-tampão 2018), é justamente para não causar nenhum impacto negativo na possível candidatura do cacique.

Amizade antiga

Em 8 de outubro de 2017, Péricles foi baleado na mandíbula, durante uma operação, quando estava a serviço da Polícia Civil, no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus. O governo de Amazonino, à época, viabilizou uma cirurgia de reconstrução no Hospital Alemão Oswaldo Cruz em São Paulo.

Depois de obter êxito no tratamento, ele chegou a Manaus no dia 21 do mesmo mês, sendo recebido “com festa” por assessores e secretários de Amazonino, entre eles o vice-governador do Amazonas naquele ano, Bosco Saraiva.

Na última administração de Amazonino, o então secretário de Saúde (Susam) e amigo pessoal do ex-governador, Francisco Deodato, dispensou 55 processos de licitação na pasta, totalizando o valor de 27 milhões (a maioria oriunda de verba federal) para empresas suspeitas de “apadrinhamento” por serem ligadas a parlamentares. No mesmo período, Amazonino não prestou contas da utilização de R$ 1 bilhão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) na Secretaria de Educação (Seduc). Não há informações de que a PF investigou os casos.

Atualmente, Amazonino se apresenta à frente em todas as pesquisas, mas possui fortes adversários, como o ex-governador interino David Almeida (Avante), deputado federal Capitão Alberto Neto (PRB) e o vereador Chico Preto (DC). Esses nomes possuem forte influência nas pesquisas realizadas.

Desta forma, a tão prometida CPI da Saúde trabalha de maneira seletiva e sem imparcialidade. O medo do “novo”, poderia está tomando conta dos parlamentares, e assim, estariam a qualquer custo, acusando-os sem provas concretas, não passando de falácias.

Detalhe é investigar o atual governo, pular o governo de Amazonino Mendes e colocar sob suspeita as ações do governo de David Almeida, antes de Amazonino.

De qualquer modo, os paladinos da moralidade da CPI da Saúde, estão se perdendo em conceitos menores que o bem comum e se rendendo aos interesses escusos de mandriões do passado. ( até aqui – matéria do Portal Laranjeira News) 

David Almeida

O ex-governador do Amazonas e ex-deputado David Almeida (Avante) protocolou, na manhã desta segunda-feira (27), um requerimento na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), pedindo à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde que o convide para depor aos seus membros sobre a pauta em investigação. David disse que, depois que ele for chamado, o ex-governador Amazonino Mendes (Podemos) terá que fazer o mesmo, para prestar esclarecimentos sobre a situação da Saúde do Estado.

David Almeida lembrou que, na última quinta-feira (23), o seu nome foi citado por membros da CPI da Saúde, em processo de pagamento a fornecedores, quando esteve governador interino do Amazonas, em 2017. “Como eu não devo nada, eu estou me colocando à disposição da CPI, pedindo que a comissão aprove o requerimento, me convocando para prestar esclarecimentos. Eu não fui convocado, mas estou pedindo da CPI que aprovem o requerimento, porque eu tenho muito a contribuir e a falar sobre os problemas da saúde do Amazonas”, disse.

O ex-governador David Almeida avaliou que a CPI da Saúde é o lugar adequado para prestar os esclarecimentos sobre o que foi falado na semana passada, uma vez que os parlamentares que compõem a comissão estão analisando os fatos. Ele afirmou que se for convocado, fará muitas revelações. “Teremos muitas revelações de como eu peguei o Estado, em que circunstâncias eu assumi o Governo do Amazonas [em 2017] e em que circunstâncias eu o deixei. Se tivessem feito o que foi proposto pela minha equipe, hoje o Estado não estaria passando pelo que está passando na saúde”, salientou David.

Desde quando a criação da CPI da Saúde foi aprovada no Poder Legislativo estadual, com abertura para investigações do atual governo e dos governos anteriores, David Almeida disse que colocou o seu nome à disposição para falar e apresentar documentos da época da sua gestão. “Eu tenho documentos oficiais que quero disponibilizar para a CPI da Saúde e para a sociedade, para que nós saibamos verdadeiramente quem são os culpados pelo caos que se encontra a saúde pública do Amazonas”, disse David Almeida.

Diante da sua iniciativa de pedir aos membros da CPI da Saúde que o convoque, David Almeida observou que, depois de falar e apresentar documentos à comissão, o ex-governador Amazonino Mendes vai precisar fazer o mesmo. “Espero que ele [Amazonino Mendes] faça o mesmo que eu, com isenção. Que ele venha aqui e se prontifique. Que a CPI aprove o meu requerimento me convocando; e, após a minha convocação, não vai sobrar alternativa ao Amazonino, senão ele vir aqui e esclarecer o que eu vou mostrar na Assembleia Legislativa”, avaliou David.