Manaus – O médico Mouhamad Moustafá, condenado como o chefe de um esquema de corrupção que desviou cerca de R$104 milhões da Saúde do Amazonas, que está em prisão domiciliar desde o dia sete de agosto, terá a tornozeleira eletrônica retirada.

Autorizado pelo juiz Leonardo Fernandes, da 4º Vara Federal do Amazonas, Mouhamad vai tirar temporariamente a tornozeleira para realizar exames médicos.

Condenado em 12 ações penais, com pena de 131 anos de prisão, ele deverá comparecer nesta quinta-feira (27), à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), e após a consulta o médico deve imediatamente voltar ao local para colocar novamente a tornozeleira.

Caso Mouhamad não volte para relocar o aparelho até o dia 28 de agosto, ele será considerado como infrator e poderá ter prisão preventiva decretada.