Manaus – O governador Wilson Lima anunciou, nesta segunda-feira (23/03), que autorizou a pesquisa do uso da cloroquina para combater o novo Coronavírus, em pacientes do Amazonas. A pesquisa teve o aval da Comissão Nacional de Ética em Pesquisas, do Conselho Nacional de Saúde, e será comandada por profissionais da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), das Fundações de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), de Vigilância em Saúde (FVS-AM) e da Fiocruz.

“Esses trabalhos de pesquisa estão sendo feitos lá no Hospital Delphina Aziz e começam amanhã. Serão pesquisas e testes feitos em pacientes. Nós tivemos, inclusive, a autorização para que essa pesquisa começasse”, afirmou Wilson Lima, ao destacar o protagonismo do Estado na iniciativa que contribui para o combate ao avanço da pandemia do Covid-19.

“Essa é uma pesquisa que avalia a eficácia da cloroquina em associação com outros medicamentos, no combate ao Coronavírus em pacientes. Tudo dentro das normas da pesquisa, e que pode ser feita em seres humanos, portanto é a ciência colaborando no combate ao novo Coronavírus, começando pelo Amazonas”, destacou o secretário da Susam, Rodrigo Tobias.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary da Costa Pinto, disse que a pesquisa será feita em pacientes graves do Covid-19 e destacou que a cloroquina, que já existe há décadas para combater outras doenças, já está com restrição de vendas nas farmácias.

“É um medicamento muito antigo, desde meados do século passado ele é usado extensivamente no tratamento da malária e, a partir desse século, passou a ser usada em artrite reumatoide, lúpus e outras doenças autoimunes”, disse ao acrescentar que pesquisas feitas por chineses, franceses e americanos têm demostrado sua efetividade, em associação com outro medicamento, no tratamento de paciente graves com o novo Coronavírus.

“É importante ressaltar que esses pacientes são paciente graves. Isso quer dizer que não adianta uma corrida às farmácias até porque a Anvisa já declarou que esse agora é um medicamento controlado. Portanto, só será vendido com receituário especial e para atender essas situações que já são prescritas. Tratamento de malária, tratamento das autoimunes”, reforçou.

De acordo com Rosemary Pinto, as pesquisas vão indicar qual a aplicação desse medicamento no ambiente tropical, pois até o momento os estudos estão sendo feitas no hemisfério norte.

Fotos: Diego Peres/Secom