Filiação do presidente Bolsonaro ao Partido Liberal contará com dirigentes de todo o país

Por Karol Maia em 30 de novembro de 2021 às 7:08 | Atualizado 30 de novembro de 2021 às 7:08

Brasil – O Partido Liberal (PL) convidou todos os 27 dirigentes estaduais para a filiação do presidente Jair Bolsonaro, que deve acontecer nesta terça-feira (30).

Deputados e senadores próximos ao presidente também devem comparecer. Magno Malta, que é do partido e evangélico, também estará presente e quer realizar uma “bênção” durante o evento.

A ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, e o ex-governador José Roberto Arruda, ambos filiados ao PL, também devem comparecer.

De acordo com informações, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), não deve comparecer. Ele tem feito oposição à entrada de Bolsonaro no partido, destoando da maior parte da legenda, e provavelmente deixará a sigla. Em entrevista à imprensa no início de novembro, ele já havia declarado sua insatisfação.

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, estaria preparando uma “saída amigável” para Marcelo Ramos. Em carta, ele diria que o parlamentar teria justa causa para deixar o partido e que o PL não iria atrás de seu mandato na Justiça. A preocupação maior seria com a própria Justiça Eleitoral.

O slogan do evento será: “o PL recebe o nosso presidente de braços abertos”, como é possível ver na foto do outdoor que será instalado para a filiação. A cerimônia deve contar com cerca de 300 pessoas, quase exclusivamente políticos.

Há a expectativa de que estejam lá os ministros que devem seguir Bolsonaro na ida ao partido, como o do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Ciro Nogueira, presidente do PP e atual ministro da Casa Civil, estará presente e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), também é esperado.

*Com informações CNN