Amazonas – O vereador Chico Preto (DC) foi o único vereador de Manaus a participar, nesta segunda-feira (15), de uma audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para debater a prestação de serviço de gás natural no estado. A reunião, que contou com a participação de deputados estaduais e associações que têm relação com o produto, foi realizada de forma virtual. O parlamentar foi elogiado pelos setores especializados pelo seu conhecimento sobre o assunto e pelo movimento encampado nas redes sociais em prol da abertura do mercado e o fim do monopólio da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás).

“Mais empresas é a certeza de mais empregos e melhores serviços, não só para o uso do Gás Natural Veicular (GNV), mas de outro serviços oriundos do gás que hoje nós temos. O gás pode ser encanado e pode ser usado nas cozinhas e ser mais barato que o gás vendido na botija. Precisamos de competição para ampliar o mercado do gás canalizado na cidade de Manaus”, afirmou.

Chico Preto destacou, também, que recentemente entregou à Polícia Federal, Ministério Público Federal (MPF), Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) e à própria Aleam, informações que dão conta de que parte dos lucros obtidos pela Cigás nos últimos anos foram parar em offshores nas Bahamas ao invés de serem investidos aqui.

“Tomei conhecimento de uma série de documentos que mostram claramente que o lucro que a Cigás teve foi parar em paraísos ficais, nas Bahamas, por exemplo. Esse dinheiro, que na minha opinião, deveria ser investido aqui, movimentado a economia daqui, foi parar em paraísos fiscais. Entreguei tudo o que sei às autoridades competentes para que conheçam, analisem e tomem providências se assim acharem necessárias”, destacou.

“O próprio órgão do Governo do Estado chamado Aserpam, que é a antiga Arsam, detectou irregularidades que podem configurar crimes na divisão de lucros da Cigás. O Amazonas perdeu dinheiro nisso”, finalizou.

 

Fonte: Assessoria