Deputado conta como pedir verba e cargos a Temer: 'Faço cara de coitadinho'

O deputado Wladimir Costa (Solidariedade-PA) detalhou as práticas que ocorrem no Congresso quando o presidente Michel Temer precisa de votos a seu favor no plenário. Ocaso mais recente é o da denúncia por corrupção passiva contra o peemedebista, que será votada pelos parlamentares no início de agosto.

Em entrevista ao jornal O Globo, Costa contou que os parlamentares costumam aproveitar esse tipo de momento para barganhar cargos e verbas para seu Estado
“Somente alguns parlamentares hipócritas não vão assumir, mas é óbvio que, após a reunião com o presidente, a gente vem com aquela história: “Mas, presidente, eu gostaria de trazer demandas do estado, do município, do governo do estado”. A gente aproveita o barco e pede. Na realidade, não é o governo que está atrás disso, os parlamentares é que estão procurando, pedindo audiência, aproveitando a oportunidade. O Temer tem que ser assim. Aos amigos, as flores; aos inimigos, coroa de espinhos”, contou o parlamentar.

Fazer “cara de coitadinho” costuma ajudar nas negociações, de acordo com o presidente. “Ele [Temer] não propõe nada, ele pede apoio, mostra cópia da denúncia, diz que é inócua, mas não oferece nada. Vai que alguma pessoa queira gravá-lo novamente numa situação dessas. Ele diz que vai ver o que pode fazer. “O que for possível ajudar no seu estado, vamos fazer”. Ele vê quais são os ministérios, quem pode resolver. O presidente encaminha. Faço cara de coitadinho para ele”, afirmou.

O deputado, que teve encontro com Temer na última terça (18), também explicou a barganha por cargos. “Se me der alguns cargos, eu quero. Quero indicar, tenho até os nomes, tenho até currículos no gabinete. Tomara que ele leia essa reportagem e se lembre do “Wlad” que tem ecoado sua voz a nosso favor e me dê umas indicações importantes para o estado”, disse.

Com informação- Notícias ao Minuto

ver mais notícias