A pré-candidata a vice-prefeita de Manaus, Conceição Sampaio (PSDB-AM), na chapa de Alfredo Nascimento (PL), participou na tarde desta sexta-feira, 19, de uma conferência on-line, exclusiva para pré-candidatos, sobre o tema “A primeira infância: no seu plano de governo”.

A conferência foi promovida pelo Instituto Teotônio Vilela (ITV), em parceria com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV).

O encontro nacional contou com mediação do deputado federal Pedro Cunha Melo (PSDB-PB), presidente nacional do ITV, e foi guiado pelas especialistas: Mariana Luz (CEO da FMCSV), Heloisa Vieira (Diretora de Relações Institucionais da FMCSV e economista) e a professora doutora Maria Beatriz Linhares (especialista em primeira infância e membro do Comitê Científico do Núcleo de Ciência pela Infância [NCPI]).

Durante a conferência, Conceição Sampaio, que foi deputada federal pelo Amazonas e esteve à frente da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) de Manaus, falou sobre a importância de abordar o tema construção de creches.

“Manaus atualmente possui 22 creches, das quais 21 foram construídas na gestão do prefeito Arthur Neto. Estou apresentando uma sugestão ao Governo Federal para que possa mudar o que hoje está sendo praticado no país.
Pois, não basta apenas construir a creche. É preciso manter. E esta manutenção é cara, e fica sob responsabilidade do município. Precisamos ter um olhar diferenciado quanto a esta manutenção e que a união entre com um percentual maior, ajudando assim as prefeituras”, destacou Conceição.

Ao ouvir a consideração da ex-parlamentar, a doutora Maria Beatriz Linhares, especialista no tema, concordou e ponderou que é preciso que haja uma reavaliação, junto à Câmara dos Deputados, sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

“Fiquei muito feliz que um posicionamento meu tenha acendido um alerta quanto a este assunto e que vai entrar em pauta de discussão. Porque ainda na condição de parlamentar, eu participei de todo o trabalho sobre a primeira infância.

Antigamente, as pessoas não tinham o entendimento da primeira infância, se discutia apenas crianças e adolescentes. A partir de uma releitura, principalmente por meio do trabalho da Fundação Maria Cecília, em São Paulo, começou a se perceber que, de 0 a 3 anos, era o momento exato de se fazer o investimento na criança. Foi quando houve a criação da Lei Federal nº 13.257 – o Marco Legal da Primeira Infância”, comentou.