>O prefeito municipal de Iranduba (distante a 27 quilômetros de Manaus), Francisco Gomes da Silva, conhecido como Chico Doido (DEM), foi intimado a devolver mais de R$ 3,8 milhões referente a contratações por dispensa de licitação de empresas para serviço de transporte escolar de alunos no ano de 2017. A representação com pedido de liminar foi apresentada pelo vereador George Reis (PV), líder da oposição.
 
O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), por intermédio do Promotor de Justiça, Leonardo Abinader Nobre, da Comarca de Iranduba, pede em caráter liminar, que seja efetuado o bloqueio de bens móveis e imóveis, bem como valores pertencentes aos requeridos, no limite do valor da causa, visando a garantia do ressarcimento aos cofres municipais.
 
Além de Chico Doido, o ex-presidente da Comissão Geral de Licitação de Iranduba, Josenildo Fonseca dos Santos também foi intimado. O servidor municipal e o prefeito Chico Doido foram multados em R$ 30 mil cada um.
 
Conforme o MPAM, o servidor e o prefeito devem responder por ato de improbidade administrativa e aplicando-se as sanções previstas legalmente, em especial as contidas no art. 12, II e III da Lei de Improbidade Administrativa, condena os requeridos a:
 
a) Suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos;
 
b) Pagamento de multa civil de até três vezes o valor de eventual acréscimo patrimonial, a ser apurado no decorrer da ação;
 
c) Proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos;
 
d) a devolução de R$ 3.823.212,33 (três milhões oitocentos e vinte e três mil duzentos e doze reais e trinta e três centavos), valor este que devem ser recolhidos na esfera Municipal para o órgão da Prefeitura Municipal de Iranduba.
Fonte Emtempo