Manaus – O céu ganhou mais uma estrela. A frase que viralizou na Internet traduz bem o que representa a morte do cantor, Klinger Araújo.

Internado desde o dia 13 de setembro com 50% dos pulmões comprometidos, não resistiu ao Covid-19 e deixou uma legião de fãs e admiradores nesta terça-feira (29).

Entre eles, o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara e candidato a prefeito de Manaus. “Uma perda irreparável para a cultura do Amazonas. Seu talento era inegável”, disse o candidato.

A maneira contagiante de ser e de cantar fez Klinger Araújo ser conhecido como “Furacão”. Nascido em Parintins, ele contagiava a todos por onde passava.

Desde pequeno, era apaixonado pela cultura do boi-bumbá. Tanto que os brincantes de Caprichoso e Garantido se mostram unidos nesta dor.

As postagens nas mídias sociais não tiveram distinção de cor. Notava-se apenas a dor da perda tão precoce.

Desde início, como radialista na rádio Alvorada de Parintins, em 1986, Klinger acumulou amigos e admiradores. De lá, emprestou a bela voz as rádios Cidade, Amazonas, Difusora, FM do Povo e Novidade. Sempre levando alegria aos ouvintes.

Aos 51 anos, o som do Furacão se foi. A voz se calou, levada por uma doença que oprime o Amazonas, o Brasil e o Mundo.

“Temos que continuar lutando em busca de armas para vencer esse monstro invisível. Cada equipamento e recurso são importantes. E vão ajudar a salvar vidas”, comentou Alberto Neto.

* Com informações da Assessoria