Bolsonaro deverá nomear o senador Ciro Nogueira, presidente do Progressistas, para a Casa Civil

Por Thiago Quara em 21 de julho de 2021 às 8:40 | Atualizado 21 de julho de 2021 às 8:43

Brasil – A mudança foi discutida em uma reunião na tarde desta terça-feira no Palácio do Planalto e pode não ser a única a ocorrer. O atual ocupante da pasta,  Luiz Eduardo Ramos, deverá ser remanejado para outro posto.

O debate em curso prevê alocá-lo na Secretaria-Geral da Presidência, hoje comandada por Onyx Lorenzoni. O Planalto não descarta dar a Onyx uma nova função na Esplanada. Um dos destinos seria um novo ministério, que poderia absorver funções hoje concentradas no Ministério da Economia.

Se confirmada, a ida de Nogueira para o mais importante ministério do governo terá por objetivo reorganizar politicamente no momento em que ele enfrenta sua maior dificuldade política com a CPI da Pandemia e ao mesmo tempo as maiores taxas de rejeição e de baixa popularidade. Pesquisas internas do governo apontam o mal momento do presidente.

Além disso, tentaria amenizar problemas recentes com Ciro, presidente do principal partido aliado de Bolsonaro. O senador se irritou recentemente com uma autorização do Ministério da Economia de R$ 800 milhões para o Piauí que, por meio da operação de crédito, pretende reforçar o orçamento em infraestrutura, saúde e segurança.

O estado governado por Wellington Dias é reduto eleitoral do político do PP, que cogita disputar o Executivo local contra uma eventual reeleição do petista. Recentemente, Ciro Nogueira também saiu da titularidade da CPI que apura ações e omissões do governo federal na pandemia.

Além disso, Bolsonaro já disse que vetará o fundo eleitoral bilionário aprovado pela Camara dos Deputados. O anúncio rápido do veto incomodou Arthur Lira, presidente da Câmara e também integrante do Progressistas.

Com informações CNN

Deixe seu comentário