Manaus – O presidente do Ministério Internacional da Restauração (MIR), apóstolo Renê Terra Nova, declarou apoio aos candidatos à Prefeitura de Manaus David Almeida (Avante) e Marcos Rotta (Democratas). A declaração de voto do líder religioso foi divulgada por meio de vídeo distribuído nas suas redes sociais, onde ele afirmou que esse é posicionamento da igreja para esse momento em que se decide o futuro de Manaus.

Conhecido como “Apóstolo de Nações”, Renê é líder de mais de 6 milhões de discípulos no Brasil e no mundo. Escritor e palestrante, ele tem mais de 200 obras publicadas. “Manaus, você não pode dar uma oportunidade para que alguns governem sem amor pela cidade e apenas por interesses pessoais. Estamos juntos para esse tempo maravilhoso, estamos juntos com David Almeida e o querido Rotta”, disse o apóstolo em seu vídeo.

Para David, o apoio de Renê é reconhecimento das lideranças da Igreja do seu comportamento e da sua conduta como homem público e cristão. “Expresso aqui a minha gratidão ao MIR, na pessoa do apóstolo Renê Terra Nova, o apoio e a confiança no nosso projeto. Espero fazer valer toda a esperança em mim depositada nesse momento de extrema importância para o futuro da nossa cidade”, disse David, que desde criança congrega como adventista.

Declarações
Ainda no primeiro turno, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Tradicional do Amazonas (Iaedtam) também declarou seu apoio a David Almeida. A Ieadtam é considerada uma das maiores redes cristãs do Amazonas, com mais de 1.800 congregações no Estado, sendo 320 igrejas somente em Manaus. Segundo representantes da Igreja, a escolha pelo nome de David – que tem Marcos Rotta como candidato a vice-prefeito – “foi uma convergência pelos valores cristãos e posicionamento em relação à administração pública”.

Incentivo
David afirmou que a sua gestão dará atenção especial a eventos como a Marcha para Jesus e o Pentecostes, as maiores manifestações culturais de cunho religioso de Manaus. O candidato afirmou que, mais do que oferecer lazer e entretenimento, o incentivo às manifestações culturais é um caminho para fortalecer a economia popular, de pequenos negócios familiares. Para ele, além dos eventos populares, os grandes eventos religiosos, que movimentam milhares de fiéis, também precisam do apoio do poder público municipal.