Antes inimigos, agora ‘Muy Amigos’: Alckmin deixa PSDB e reforça rumores de ser vice de Lula

Por Thiago Quara em 16 de dezembro de 2021 às 12:25 | Atualizado 16 de dezembro de 2021 às 12:31

Brasil – A notícia de que Alckmin deixaria o PSDB foi antecipada pela de Mônica Bergamo em maio. Já naquela ocasião, ele avisou a aliados que em breve não faria mais parte da legenda, hoje dominada por João Doria (PSDB-SP), candidato à presidência em 2022.

O estopim foi o anúncio de filiação do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia ao PSDB, o que consolidou a candidatura dele ao executivo estadual e aniquilou as chances de Alckmin. Doria foi quem patrocinou a abertura de caminho para Garcia.

Agora, Alckmin está articulando com Lula e com o PT para ser candidato a vice-presidente na chapa em 2022. Estas tratativas começaram a ficar mais claras em novembro.

A expectativa era que o ex-governador saísse do PSDB e se filiasse ao PSB, que o indicaria a vice de Lula.

Porém, até o momento, divergências das duas legendas sobre a campanha para o governo de São Paulo dificultaram esse arranjo.

A aliança estadual faria parte do pacote em que o PSB indica Alckmin a vice.

O PT de São Paulo, contudo, não concorda. A sigla pretende manter o nome de Fernando Haddad para a corrida eleitoral paulista.