Manaus – O deputado Adjuto Afonso (PDT) fez um apelo ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), para que o órgão resolva a situação da BR 317, rodovia federal, que liga o município de Boca do Acre (a 1.028 km de Manaus), na Calha do Purus, a Rio Branco, capital do Estado do Acre. A estrada está intrafegável, conforme informações de moradores da região.

“Eu gostaria de fazer um apelo ao DNIT com relação a estrada BR 317. Essa estrada esta interditada há mais de três dias, do quilometro 60 ao 80. Isso ta impossibilitando o transporte, não só do município de Boca do Acre, mas de municípios que dependem dessa estrada para o escoamento da produção. Boca do Acre tem o maior rebanho do Estado do Amazonas e essa carne é toda escoada via essa BR”, explicou o parlamentar.

Na última segunda-feira (9), moradores e produtores rurais do município realizaram uma manifestação em alguns trechos da rodovia, especificamente no trecho 60, conhecido como “local da Zana”, até o quilômetro 80 da BR. “Temos imagens de pessoas na beira da estrada clamando para que o DNIT tente recuperar. Sabemos da importância dessa estrada e o quanto foi difícil de ser asfaltada. Essa estrada tem 208 km, metade pertence ao Acre, que tá toda asfaltada. Mas, na nossa parte, esses quilômetros não foram asfaltados e gera, na época do inverno, uma descontinuidade do transporte”, enfatizou o deputado.

Além do fator econômico, conforme o deputado Adjuto, a BR 317 é essencial para transporte de pessoas que precisam de assistência médica, e se deslocam para Rio Branco. “Os doentes de Boca do Acre, muitos são tratados no Acre, o município tem ambulância que diariamente se desloca à capital do Acre porque não tem condições de vir pra Manaus”.

A BR-317 liga Boca do Acre, no Amazonas, a Rio Branco, no Acre, e segue até Assis Brasil, município acriano localizado na tripla fronteira Brasil-Peru-Bolívia.