A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, neta terça-feira (13) um jovem suspeito de ter assassinado o pastor Francisco Antôno dos Santos Marqeus, de 35 anos, em crime ocorrido no dia 4 de outubro.

A câmera do circuito de segurança de um prédio próximo à igreja Assembleia de Deus Voz do Calvário, em Águas Claras, onde o pastor foi executado, flagrou os momentos que antecederam o crime. As imagens registram a movimentação do rapaz, de 18 anos, que abriu fogo contra o religioso e o matou com quatro tiros.

No vídeo, é possível ver que o autor do crime passa pela entrada da igreja, que está com as portas parcialmente cerradas. Em seguida, ele retorna, entra no local e abre fogo. A ação dura poucos segundos. Logo depois, o suspeito deixa a igreja correndo. O crime ocorreu na QS 11, no Areal, em Águas Claras. O suspeito foi detido com a arma do crime, nesta terça-feira (13/10), na região conhecida como Fazendinha, no Itapoã.

O pastor foi atingido pelas costas. Ele estava de joelhos, em oração, quando foi atacado pelo autor. Uma mulher que participava da celebração também foi baleada, mas sobreviveu. O suspeito confessou o crime, porém ainda não contou aos policiais o que teria motivado a execução.

Segundo o delegado-chefe da 21ª DP, Luiz Alexandre Gratão, as investigações continuam para apurar a motivação do crime. “Ainda não temos a materialidade necessária para apontar os motivos que levaram o autor a cometer esse homicídio. No entanto, não deverá demorar para fecharmos a apuração”, disse.

Veja o caso abaixo:

O caso

Durante as investigações, a PCDF identificou que o suspeito entrou no templo armado e efetuou diversos disparos, fugindo logo em seguida. Câmeras de segurança filmaram o autor saindo do local após o homicídio. Francisco Marques era foragido da Justiça desde 23 de agosto de 2018. Ele é acusado de cometer um homicídio em Paranaíba, Piauí, sua cidade natal. A Polícia Civil do DF não descarta nenhuma linha de investigação.

Drogas

Durante a prisão do suspeito, os policiais também encontraram cerca de 300 gramas de maconha, quatro balanças eletrônicas de precisão e as vestimentas utilizadas pelo autor no momento do crime. “Além da imputação e homicídio, o suspeito responderá por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. A rápida investigação realizada pela Seção de Investigação de Crimes Violentos da 21ª DP e a ação conjunta com todas as demais seções foram fundamentais para esclarecer e capturar o autor do grave delito cometido”, afirmou Luiz Alexandre Gratão.