Um semana após ser encontrada quase decapitada, morte de Irmã Ana ainda é um grande mistério

Por Rodrigues em 25 de janeiro de 2021 às 21:07 | Atualizado 25 de janeiro de 2021 às 21:08

 A Polícia Civil de São João do Polêstine, no interior do Rio Grande do Sul, ainda não sabe quem e nem porque a freira Maria Ana Dal Santo foi asssasinada com um golpe no pescoço que quase lhe arrancou a cabeça. Irmã Ana, como era chamada, estava na cidade para ajudar sua irmã, doente.

Uma outra freira da cidade a encontrou morta, caída ao chão, dentro do quarto. A Polícia recolheu pistas, ouviu dezenas de pessoas, mas não sabe quem matou a freira, uma semana após o crime na cidadezinha.  Conforme o delegado Sandro Meinerz, tudo é um mistério.  Nada foi levado da casa. ” Trabalhamos com essa hipótese em virtude dos sinais, ninguém percebeu o furto de nada. A casa estava bem preservada. Então, acreditamos que quem entrou ali entrou com o propósito de matar. Se era matar essa senhora ou a proprietária, ainda não sabemos. Mas toda a comunidade sabia que a proprietária estava em um abrigo. Então, precisamos entender quem entrou lá e por quê, ” afirma Meinerz.

Deixe seu comentário