Meriane Jeffreys, da redação 

Manaus –  O estudante de Medicina identificado com Odilon Pereira Velho Filho de 20 anos e sua prima Rayssa Mendonça da Costa, 21, foram   brutalmente agredidos durante o Bloco do Vieiralves, no último domingo (23).

O bloco foi  realizado no estacionamento da Universidade Nilton Lins, no Bairro do Parque das Larajeiras, Zona Centro-Sul de Manaus. 

O momento foi registrado pelos próprios foliões que em nenhum momento tentaram impedir a agressão ao jovem e sua prima.

Devido ao espancamento por pelo menos quatro homens, Odilon ficou desacordado no chão.

Segundos depois, os seguranças da festa impediram a briga. A vítima foi levado ao hospital bastante machucada. Sua prima Rayssa, também ficou ferida mas não permaneceu internada.

Na rede social, Odilon se pronunciou a respeito contando a versão de sua história; confira 

 

Odilon Pereira Velho Filho
Rayssa Costa

No domingo dia:23/02, fui agredido fortemente depois de tentar defender minha prima de um assédio. A história começou com a minha prima querendo ir ao banheiro e me chamando para acompanhar-la, aí fui.

No caminho ao banheiro um dos assediadores chamado Lucas Gonçalves pegou na bunda dela, e no mesmo momento falei pra ele que ela estava acompanhada e que ele deveria respeitar, nesse momento ele me empurrou e falou que não importava se ela estava acompanhada.

Segui em diante para acompanhá-la até o banheiro, pois já estava com essa intenção de proteger, e ainda aumentou com medo de eles tentarem assediar ela de novo.

Ela foi ao banheiro e saiu. Quando ela saiu continuei acompanhando ela, até q fui acertado. Ainda tentei me defender. Não tenho pra que mentir e inventar história. Nem um momento procurei briga com nenhum desses rapazes. Espero que a justiça seja feita. Desejo apenas justiça. Deus sabe que eu não procurei briga em nenhum momento. Que seja a feita a vontade de Deus.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP), abriu um inquérito e vai investigar o caso, confira a nota:   

Nota 

 A SSP-AM informa que vai ser aberto um inquérito policial para apurar eventuais responsabilidades dos organizadores do bloco no Parque das Laranjeiras no dano causado ao patrimônio público. Também será avaliado se houve descumprimento da portaria do Carnaval 2020, que regula as atividades em vias públicas. O bloco em questão ocorria em local fechado, mas houve superlotação, extrapolando a área do evento.

Os episódios de destruição e vandalismo praticados pelos cidadãos que participaram da festa são lamentáveis e criminosos. Quem tiver informações sobre as pessoas envolvidas nesses atos pode ajudar a polícia na identificação dos infratores para que eles sejam responsabilizados como manda a lei. As denúncias podem ser feitas de forma ao 181, o disque-denuncia da SSP.

Vídeo

A equipe de reportagem do Portal CM7  ouviu as vítimas da agressão; veja live