Manaus – Ex-chefe do tráfico no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, o traficante 3N passou a ser um dos mais procurados do Rio após ter desafiado a facção da qual fazia parte. De acordo com informações da Polícia Civil, o criminoso, antes chamado de 2N, assassinou um antigo comparsa, Schumaker Antonácio do Rosário, após descobrir que ele iria matá-lo.

Thomas Jayson descobriu que o chefe do tráfico no Complexo do Salgueiro, Antonio Ilário Ferreira, o Rabicó, havia ordenado que Schumaker o matasse. O objetivo era retomar o controle do tráfico de drogas no Salgueiro. O comando da venda de drogas estava nas mãos de 2N e Rabicó estava preso.

Após a morte de Schumaker, 2N foi considerado traidor pela facção e teve que fugir do Salgueiro. Ele passou a fazer parte de uma facção criminosa rival e contou com o apoio de alguns aliados que, junto com ele, mudaram de quadrilha. Desde então, ele adotou o apelido de 3N.

Há 13 dias, Rabicó foi solto, após mais de 11 anos atrás das grades. Ele foi beneficiado por uma decisão do STF. A soltura do traficante colocou em alerta autoridades de Segurança Pública do Rio, que temiam uma nova guerra em São Gonçalo. O receio era de que, em liberdade, Rabicó quisesse se vingar de 3N, que vinha tentando dominar o Salgueiro.

O traficante Thomas Jayson Vieira Gomes, conhecido como 3N, se escondeu em pelo menos seis favelas antes de ser localizado e morto em uma operação das polícias Civil e Militar.

Fonte Extra