Manaus – Um sargento do Exército Brasileiro de 30 anos foi preso em Manaus na manhã desta sexta-feira (18) suspeito de envolvimento em um latrocínio (roubo seguido de morte) ocorrido em julho deste ano no bairro Dom Pedro, zona Centro-oeste de Manaus. Sidney Pinto Ferreira é o terceiro homem a ser detido. A vítima era um empresário de 21 anos.

O caso ocorreu no dia 29 de julho na casa onde o empresário morava, na Rua Iacutã. No dia do crime, dois suspeitos (que já foram presos por estar envolvido no caso) abordaram o rapaz e o cunhado no momento em que saíam da moradia para o trabalho.

Durante o assalto, foram levados da vítima R$ 900. O empresário foi baleado e morreu no local. O cunhado dele ficou ferido.

De acordo com o adjunto da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), delegado Demétrius Queiroz, o sargento é responsável por ter passado informações para a dupla realizar o crime.

“Foi ele [sargento] quem deu a ‘fita’, informações privilegiadas. Ele levou o motorista de aplicativo e mostrou a casa e deu as informações de que, nesse lugar, possivelmente, tinha um dinheiro a ser levado pela vítima de R$ 20 mil”, explicou o delegado.

Em depoimento para a polícia, o militar conta que já conhecia a vítima. “Ele não confessa o crime, mas afirma que levou os outros suspeitos até a casa e que prestou serviço para o empresário”, completou Queiroz.

Apresentado em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (18), o sargento não quis se pronunciar sobre o caso.

Segundo a polícia, o motorista de aplicativo é amigo de infância do sargento. O terceiro suspeito foi convidado pelo condutor do veículo.

O delegado informou, ainda, que a ideia de irem assaltar o empresário surgiu após o motorista ter comentado que estaria precisando de dinheiro.

Queiroz contou que após matarem o empresário, o motorista ligou para o militar e disse que o assalto havia dado errado. Preso em cumprimento de mandado de prisão temporária, o sargento foi indiciado por latrocínio.