Polícia prende mais um envolvido no homicídio do cantor Melvino de Jesus Júnior

Marcos Ribeiro Ramos, de 26 anos, conhecido como “Marquinho”, foi preso pelo homicídio qualificado do cantor Melvino de Jesus Júnior, líder do grupo musical Júnior e Banda. O crime aconteceu no dia 29 de abril deste ano, no município de Codajás. A vítima tinha 42 anos.

De acordo com o delegado Juan Valério, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Marcos foi preso na última terça-feira, dia 25 de julho, em Maraã, município distante 634 quilômetros em linha reta da capital, durante ação conjunta envolvendo policiais civis e militares lotados em Maraã e Tefé.

No momento em que foi preso o infrator estava em posse de uma arma de fogo calibre 38, com a numeração suprimida. A ordem judicial em nome do infrator foi expedida no dia 10 de junho deste ano, pelo juiz Luiz Pires de Carvalho Neto, da Vara Única da Comarca de Codajás. O infrator chegou em Manaus na última sexta-feira, dia 28, conduzido por policiais civis da DEHS.

“Ao longo das investigações em torno deste caso constatamos que a execução aconteceu por engano. Na ocasião, os infratores tinham como alvo um traficante conhecido como “Vitão” e o confundiram com o cantor, que não tinha qualquer tipo de envolvimento com o tráfico de drogas.  “Vitão” é um dos traficantes que atua no município de Coari e estava tentando expandir o comércio ilícito para Codajás. Evenilson de Oliveira Ferreira, 19, conhecido como “Mistério”, também envolvido no homicídio, foi preso pela equipe da DEHS no dia 14 de junho deste ano. Ele e Marcos contrataram Henrique Silva da Silva, 22, chamado de “Kinho”, e Fábio, o “Índio”, para executar o traficante”, explicou Valério.

O titular da DEHS ressaltou que Marcos confessou participação no crime, mas alegou que não seria o mandante do homicídio. “Ele relatou que a função dele era dar suporte aos comparsas em Codajás. Ele foi contactado ainda no sábado, logo após a ação criminosa, para dar suporte na fuga dos infratores. Inclusive para “Mistério”, o mandante do homicídio. Em depoimento “Marquinho” argumentou que os deixou em uma ilha perto de Codajás. Em seguida eles foram para Manacapuru e Marcos retornou a Coari”, declarou.

Segundo o delegado, na noite do crime uma adolescente disse aos infratores as características do traficante, que possui porte físico parecido ao que o cantor tinha. Henrique efetuou seis disparos em direção à vítima, que foi a óbito no lugar. O titular da DEHS ressaltou que Henrique, assim como Kaison Rodrigo Pena da Silva, 23, e Ozivan dos Santos de Oliveira, 31, que também participaram do crime, foram presos no dia 12 de junho deste ano.

Juan Valério informou que deste caso continuam foragidos um indivíduo conhecido “Índio” e um jovem identificado como “Dentinho”. A autoridade policial destacou, ainda, que Henrique e “Índio” também estão envolvidos no homicídio do soldado da Polícia Militar Paulo Sérgio da Silva Portilho, que teve o corpo encontrado na tarde do dia 30 de maio deste ano, na Rua 222-A da invasão Vila Buriti, Comunidade João Paulo, bairro Nova Cidade, zona Norte de Manaus. A vítima tinha 34 anos. “Com a prisão de Marcos totalizamos cinco pessoas presas por envolvimento no homicídio do cantor. Duas continuam sendo procuradas pela polícia”, enfatizou.

Marcos foi indiciado por homicídio qualificado e autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito.  Ao término dos trâmites legais na DEHS, o infrator será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

O titular da DEHS solicita a colaboração de todos na divulgação da imagem de “Índio” e “Dentinho”. Informações sobre a localização dos foragidos podem ser feitas ao disque-denúncia da unidade policial (92) 98118-9535 ou ao 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). O delegado assegura o sigilo da identidade dos informantes.

Fonte Tribuna da Praça

ver mais notícias