Amazonas – Por dia, o telefone emergencial 190, da Polícia Militar, recebeu em média 805 ligações falsas até junho deste ano. Os números foram registrados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e mostram que, no primeiro semestre de 2019, os serviços já totalizam 145.819 trotes. Além de prejudicar o atendimento das emergências da polícia e dos bombeiros, a prática é crime.

O secretário executivo-adjunto de Planejamento e Gestão Integrada, coronel Hermes Macedo, explica que existem punições para quem faz esse tipo de chamada aos serviços de emergência. Após a identificação, a lista com os telefones dos autores de ligações falsas é encaminhada à Polícia Civil.

“É um crime previsto na legislação penal. Quando identificado, o autor é enquadrado no Artigo 340 do Código Penal, de falsa comunicação de crime ou de contravenção, cuja pena é detenção de um a seis meses ou multa”, disse o coronel.

Caso seja possível identificar, as punições serão aplicadas mesmo que o trote tenha sido por crianças. No caso, os pais serão responsabilizados. “Estaremos encaminhando mensalmente à Polícia Civil do Amazonas a relação destes para que sejam tomadas, dentro da previsão legal, as providências que julgarem necessárias após ouvirem os que realizam este tipo de ligação ao 190 e 193”, completou.