Manaus – Os delegados Guilherme Torres e Demetrius Queiroz, respectivamente, titular e adjunto da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), falaram, nesta segunda-feira (12), durante coletiva de imprensa realizada, sobre o resultado da operação “Iscariotes”, deflagrada na última sexta-feira (9), por policiais civis da especializada. A ação culminou nas prisões de seis pessoas envolvidas em esquema criminoso que causou prejuízo estimado em R$ 800 mil a uma empresa de atacado e varejo de alimentos e bebidas.

Durante a coletiva de imprensa foram apresentados: José Paulo Pereira Gonçalves, 42, Karina Pereira Ferreira, 33, e Márcio Pereira de Souza, 34, presos em cumprimento a mandado de prisão temporária por furto qualificado mediante fraude e associação criminosa. Conforme o delegado Guilherme Torres, ao longo da operação policial foram cumpridas 11 ordens judiciais, dentre mandados de prisão temporária e mandados de busca e apreensão.

“Hoje, apresentamos somente José, Karina e Márcio. As outras três pessoas que estão presas, decidimos preservar a imagem para não cometer nenhum excesso, pois as investigações estão em andamento e estamos apurando a participação de cada uma no esquema criminoso. A desarticulação desse bando, que já atuava há cerca de dois meses causando prejuízo a essa empresa, evitou uma nova fraude que causaria um prejuízo estimado em mais de R$ 1 milhão”, explicou Torres.

Demetrius Queiroz informou que José, Karina e Márcio participavam de esquema criminoso que consistia na saída de mercadorias, acima das que constavam nos pedidos de venda, além da emissão de notas fiscais em nome de outros clientes da empresa, sem a autorização dos mesmos, para que fossem liberadas mercadorias indevidamente.


“José era gerente da empresa, e Karina atuava como vendedora. Já Márcio, que é empresário e dono de uma distribuidora de bebidas, era quem retirava as mercadorias da empresa e as revendia. Após liberarem as mercadorias indevidamente, o trio revendia a preços abaixo dos praticados no mercado para ganhar dinheiro e gerar lucros. José, por ser gerente da empresa, registrava as notas fiscais de forma indevida”, disse Queiroz.

Prisões – José e Karina, que eram funcionários da empresa, vítima do esquema criminoso, foram presos na última sexta-feira (09/08), por volta das 11h, durante o expediente de trabalho, no prédio da empresa, localizada na avenida Camapuã, bairro Cidade Nova, zona norte. Já Márcio, foi preso posteriormente, no mesmo dia, na distribuidora dele, situada no bairro Cidade de Deus, na mesma zona da cidade. As ordens judiciais em nome dos infratores foram expedidas no dia 8 de agosto deste ano, pelo juiz Henrique Veiga Lima, da 9ª Vara Criminal.

Indiciamento – José, Karina e Márcio foram indiciados por furto qualificado mediante fraude e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da Derfd, eles serão encaminhados, respectivamente, para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça.

Assista a live