Rio de Janeiro (RJ) – Um policial militar foi encurralado por criminosos e precisou de reforço para conseguir sair da Cidade Alta, no bairro Parada de Lucas, na zona Norte do Rio de Janeiro (RJ), no último sábado (19/9). O PM foi parar na comunidade após seguir as orientações de um aplicativo de trânsito. Pelo menos cinco criminosos diretamente ligados com o tráfico de drogas na área, morreram em confronto com o policial ao perceber a presença da autoridade.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima estava seguindo pela Estrada do Quitungo após ter ido comprar uma máquina de lavar. O profissional estava seguindo as orientações do sistema de GPS quando foi surpreendido por uma espécie de barricada feita por criminosos fortemente armados.

O policial relatou ainda que, ao ser percebido pelos traficantes, começou a ser atacado com dezenas de tiros em sua direção e, ao reagir, conseguiu atingir um dos bandidos que já tentava executá-lo. Em seguida o policial conseguiu se evadir do veículo e se abrigou na casa de um dos moradores da área que prestou socorro.

Após solicitar reforços da corporação e explicar o ataque que estava sofrendo, o PM continuou trocando tiros com os bandidos até que outras viaturas finalmente pudessem chegar ao local. O tiroteio entre o policial e os bandidos durou cerca de 30 minutos e, durante o ataque, pelo menos cinco dos traficantes que utilizavam fuzis e granadas, morreram atingidos pelo PM.

Após as mortes dos comparsas, os bandidos sobreviventes começaram a jogar granadas na direção da vítima, que conseguiu se manter em segurança. Em seguida, policiais do Grupamento de Ações Táticas, com o apoio do carro blindado do Batalhão de Olaria (16ºBPM), chegaram e conseguiram realizar o resgate do policial até então encurralado. Viaturas do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) e do Regimento de Polícia Montada (RPMont) deram apoio à ação pela Avenida Brasil, entrando em confronto com criminosos que tentavam fugir do local.

A residência onde o policial se abrigou e que o criminoso morreu foi preservado para perícia e o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios (DH).