Manaus- Na tarde desta -terça -feira (19), o médico Gustavo Machado acusado de agredir com tapas e socos a companheira Glenda Oliveira, 25, se apresentou com um advogado e prestou o primeiro depoimento sobre o fato na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), na Zona Centro-Sul de Manaus. A informação foi confirmada pela delegada titular, Débora Mafra.

Segundo depoimento da testemunha, o espancador, queria ir embora sozinho do flutuante onde estava, mas a vítima entrou na lancha e, após puxar a blusa do marido, em um trecho da viagem, começou a ser agredida

O conteúdo do depoimento não foi revelado. Segundo a delegada, o médico agressor, foi indiciado apenas por lesão corporal e injúria. Mafra revelou também que o barqueiro que transportou os dois do flutuante Nativos, no bairro Tarumã-Açu, na orla oeste da capital, também já foi ouvido. A testemunha confirmou o espancamento e chegou a pedir que o drogado cessasse as agressões, mas não conseguiu.
“O barqueiro disse depois que ela puxou a blusa dele, ele começou a agredi-la com tapas e socos em todo o corpo, então ela se jogou na água, dizendo que não iria morrer”, explicou Mafra. O barqueiro relatou ainda que outro barco deu ajuda para a vítima, porém ao entrar na lancha foi espancada novamente pelo marido.
Mais informações em instantes