Manaus – O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado na tarde desta segunda-feira (27) para remover, pelo menos, 10 corpos em unidades prisionais de Manaus. As mortes foram confirmadas no Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT) e Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), ambas unidades localizadas no km 8 da rodovia BR-174, na Zona Rural de Manaus.

As informações foram repassadas por uma fonte que trabalha no órgão. “Fomos acionados por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), para seis remoções no Ipat e quatro no Compaj. Estamos com equipes na rua e vamos preparar as viaturas”, disse.

A reportagem entrou em contato com o titular da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) coronel Vinicius, mas ele evitou dar detalhes da situação.

Crise no sistema penitenciário

Há informações sobre problemas em outro presídio, desta vez na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). Oficialmente, nenhum órgão de segurança comenta a crise no sistema prisional que iniciou na manhã de domingo, durante a visita íntima, no Compaj. Na ocasião, 15 presos foram mortos por asfixia e estocadas de escovas de dente.

Nesta manhã, a Seap já havia registrada a morte de um detento no Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM1), também localizado no km 8 da BR-174. Fábio Queiroz Ferreira, de 39 anos, conhecido como “Olho de Boneca”, foi encontrado morto dentro de uma das celas por agentes penitenciários. O órgão tratou a morte como suicídio, já que ele foi encontrado enforcado.