Manaus – Nessa terça-feira, 13, um total de 47 presos que estão no regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), passam a ser monitorados por meio de tornozeleira eletrônica.

Ao todo, 522 detentos do regime ainda devem passar por audiências, para avaliar se há condições, ou não, de receberem monitoramento.

A medida ocorre após a Justiça do Amazonas determinar a desativação do regime semiaberto do Compaj. A medida atende a um pedido da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), feito em janeiro de 2017, logo após a rebelião que resultou no massacre de mais de 60 presos da penitenciária.

O procedimento segue nesta quarta-feira, 14 e a Seap informou, por meio de nota, que um total de 56 presos devem passar por audiências a análise das certidões carcerárias feitas pelas equipes da Seap e por juízes da Vara de Execução Penal (VEP).