A garota foi obrigada a ver o irmão ser morto com vários disparos de arma de fogo, dentro da residência da família, no bairro Sítio Cercado

A irmã de Efrain Silva Trindade, de 30 anos, assassinado dentro da residência em que vivia com a família no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, durante a madrugada desta quinta-feira (5), por volta da 1h30, foi obrigada pelos criminosos a ver a execução do próprio irmão.

Segundo a jovem, que não quis se identificar por medo, os bandidos invadiram a casa e enquanto um deles entrou em seu quarto, o outro foi até o quarto da vítima e bateu dizendo que era a polícia. “O cara veio que começou a falar, ‘cadê a arma?’, ‘cadê a arma?’, ‘cadê o cara?’ e eu fiquei quieta. O outro parceiro que estava com ele parou no quarto ao lado e falando bem assim ‘é a polícia’. Então, o meu irmão abriu a porta achando que era a polícia, com as mãos para o alto”, explicou a jovem.

Assim que Efrain abriu a porta, ele foi dominado por um dos assassinos e sua irmã forçada a ver a consumação do crime. “Nesse momento, o outro cara que estava comigo no quarto estava apontando a arma pra mim, pra mim ficar quieta e não sair dali. Só que eles quiseram que eu visse o assassinato. Eles me levaram até o corredor, onde aparece o quarto dele e falaram ‘olha ali, olha ali’ e se eu olhasse pro lado eles batiam com uma arma na minha cabeça e eu voltava a olhar. Foi completamente horrível, uma cena cruel, uma cena fria. Como que um ser humano pode fazer isso? Foi vários tiros na cabeça, pra matar mesmo, o meu irmão não teve nem reação porque ele nem sabia o que tava acontecendo”, contou a testemunha.