Índios são atraídos para comprar ‘gasolina baratíssima’ e caem em golpe no Amazonas; entenda

Por Karol Maia em 5 de janeiro de 2022 às 11:10 | Atualizado 5 de janeiro de 2022 às 11:10

Amazonas – A Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros de Manaus), cumpriu dois mandados de prisão preventiva em nome de Gean Barreto Basilio, de 31 anos, e Aristóteles Neto Solano Penha, 29, pelo crime de estelionato praticado naquele município.

De acordo com o escrivão de polícia Celso Delgado, gestor interino da DEP, Gean divulgava que comercializava combustível mais barato que os demais postos de combustível daquele município, e isso despertou o interesse dos indígenas que residem em comunidades longínquas da sede do município.

“Ele solicitava que o pagamento fosse adiantado e pedia para as vítimas aguardarem em um local combinado, porém não retornava. Dessa forma, ele fez quatro vítimas, que tiveram prejuízos de R$ 1,5 mil. Gean também oferecia armas de fogo de caça para venda, pegava o dinheiro adiantado e não entregava o armamento, além de emprestar motocicletas e vender sem o consentimento dos proprietários, causando prejuízo estimado em R$ 6 mil”, detalhou o gestor.

Já Aristóteles anunciava que conseguia empréstimos para aposentados por meio de uma financiadora com sede na cidade de São Paulo, sem burocracias. Ele também solicitava pagamento adiantado, mas o empréstimo não se concretizava.

“No começo das tratativas, ele solicitava às vítimas um adiantamento em dinheiro, de acordo com o empréstimo solicitado por elas. O valor variava de R$ 500 até R$ 2 mil. Após receber esses valores, Aristóteles desaparecia, o que causou prejuízo de aproximadamente R$ 30 mil”, contou Celso.

Ordem judicial – A ordem judicial em nome de Aristóteles foi expedida no dia 4 de novembro de 2021, e a de Gean decretada em 22 de dezembro do mesmo ano, pelo juiz Manoel Átila Araripe Autran Nunes, da Comarca de São Gabriel da Cachoeira.

Procedimentos – Aristóteles e Gean responderão por estelionato e permanecerão custodiados na carceragem da unidade policial, à disposição da Justiça.

*Com informações assessoria