Jacson Barros de Souza, 38, foi apresentado pela polícia na manhã dessa sexta-feira (10) suspeito de estuprar e filmar duas crianças e uma adolescente de 9, 10 e 13 anos em um condomínio de luxo, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste da capital.

De acordo com a delegada Juliana Tuma, da Delegacia Especializada Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), as vítimas não tinham parentesco com o suspeito, e eram recrutados por ele com a justificativa para participar de eventos da igreja. Segundo depoimento de uma das mães, ele dizia que as meninas seriam coroinhas da igreja.

Jacson trabalhava no local desde maio deste ano e usava a piscina da residência para cometer e filmar os abusos. O crime foi descoberto depois que uma pessoa do condomínio recebeu um dos vídeos e apresentou as imagens à administração do local que denunciou a polícia.

O suspeito tinha acesso livre às vítimas e saía constantemente para ir a shoppings e lanchonetes. A delegada responsável pelo caso relatou que os abusos também aconteciam na casa dele e das vítimas, uma das tias da criança de nove anos disse que flagrou Jacson em cima dela em um dos quartos da casa.

Ele nega as acusações e afirma que abusou apenas da menor de 10 anos com quem foi flagrado na piscina, a delegada supõe que o suspeito tenha feito outras vítimas e pede para quem o reconhecer, denunciarem na sede do Depca, localizado no bairro Planalto, Zona Oeste.