Manaus (AM) – Na manhã desta terça-feira (29/9) o corpo da garota de programa manauara Deyna Chayena Nunes, de 29 anos, foi velado por amigos e familiares após a mulher ter sido encontrada brutalmente assassinada durante a última quinta-feira (24/9) em uma casa onde fazia programa no município de Gramado (RS). O velório de Deyna Chayena, que foi vítima de um brutal assassinato, aconteceu em uma funerária localizada na avenida Major Gabriel, bairro Praça 14 de Janeiro, na zona Sul da cidade. 

A cerimônia foi marcada por comoção de amigos e familiares que se reuniram para dar o último adeus à mulher. Apesar do momento de sensibilidade, a família da garota de programa disse que deve continuar acompanhando os trabalhos da Polícia Civil do Rio Grande do Sul para chegar o mais rápido possível à identidade e ao paradeiro do assassino que vitimou cruelmente Deyna Chayena.

“Nós já sabemos que existem câmeras de segurança no local onde ela foi morta, mas de acordo com a polícia, as imagens ainda não podem ser divulgadas pois estão em segredo de Justiça. A gente espera que o caso não seja ‘varrido para debaixo do tapete’ e que esse assassino possa pagar pelo que ele fez com minha sobrinha. Ela era garota de programa sim, mas nada justifica a crueldade com que a vida dela foi tirada.”, desabafou a tia da jovem, dona Maria Cida.

Após o velório o cortejo deixou a funerária e seguiu até o Cemitério Parque Tarumã, na zona Oeste de Manaus, onde em seguida foi realizado o enterro da vítima.

Entenda o caso:

De acordo com informações já confirmadas pelas autoridades e familiares de Deyna Chayena, 29 anos, a garota de programa trabalhava na boate de stripper Remulo´s Club, situada na rua Lobo D’Almada, no Centro de Manaus (AM). A acompanhante recebeu uma proposta para viajar até Gramado (RS) onde atenderia um cliente que ela conheceu por meio de redes sociais onde fazia anúncios dos programas.

Já no Rio Grande do Sul, o encontro marcado aconteceu por volta de 19h30, quando o homem chegou ao apartamento que ela havia alugado no Centro de Gramado (RS) para o receber. Ainda segundo as autoridades do caso, o último contato feito com a garota de programa aconteceu por meio de um aplicativo de mensagem onde ela avisa uma amiga que já estava com o cliente marcado e que o homem teria “cara de malandrão”. Após a mensagem, a mulher ficou incomunicável.

A polícia foi acionada e quando chegou ao local encontrou a vítima apenas de roupa íntima sob a cama, com sinais de asfixia, clavícula e boca quebradas. Ainda na cena do crime, a polícia também constatou a falta de pertences pessoais de Deyna como, por exemplo, um aparelho celular da marca iPhone e dinheiro. Ao lado da cama também foi encontrado um travesseiro com marcas de maquiagem, possivelmente usado para asfixiar a mulher.

A Polícia Civil do estado onde o crime aconteceu está investigando o homicídio, e nesse primeiro momento trabalha com uma linha de investigação que não descarta a possibilidade de latrocínio; roubo seguido de morte. Já a família da acompanhante não acredita que a jovem tenha sido morta por um assaltante, e sim que o assassinato tenha sido encomendado, por não ser a primeira vez que a garota de programa sofre os ataques. “Em vários lugares que ela viajou já havia sofrido tentativas de ataques, no Rio de Janeiro, em Cuiabá e até mesmo aqui em Manaus.”, destacou Maria Cida, tia da vítima.