Manaus – A primeira dama Elisabeth Valeiko, foi de livre e espontânea vontade a DHES (Delegacia Especializada em homicídios e Sequestros), onde prestou depoimento, na tarde segunda-feira (21). Na saída, ela tentou falar com familiares do engenheiro Flávio, mas foi impedida pelos policiais.

“Fui à delegacia porque só quero a verdade”, disse Elisabeth a interlocutores após sair da delegacia. Ela não era obrigada a comparecer na delegacia, mas decidiu ir de espontânea vontade.

Elisabeth antes de ser primeira-dama é mãe e está sofrendo tanto quanto a mãe de Flávio. Elizabeth, hoje tem o filho mais velho acusado de um crime, preso e o que ela sabe é  apenas o que viu ao chegar na casa. Apesar de ter dito abertamente que esteve na casa no dia do assassinato de Flávio, não é considerada suspeita do caso. Ela não estava na festa.


Ela foi na delegacia, prestou depoimento acompanhada dos advogados, Yuri Dantas, Marcos Aurélio Choy e Felix Valois, para explicar as circunstâncias em que esteve na casa onde ocorreu o crime. 

A primeira-dama quer saber a verdade e tem colaborado como a polícia, já  a imprensa acompanha tudo de perto esperando resultados finais e conclusão da polícia para esclarecer este caso.