Manaus (AM) – No início desta manhã de terça-feira (03), o Delegacia de Combate a Corrupção (DECCOR), realizou vários mandados de buscas e apreensões em endereços de servidores públicos e empresários de Manaus.


Informações preliminares dão conta que a investigação gira em torno de suposta cobrança de propina dentro do programa SOS Funeral.

Segundo empresários para fornecer caixões para o programa teriam que efetuar pagamento de propinas que variavam entre 10% e 20% do valor total do contrato de serviço.
As investigações apontam a descoberta de uma rede que envolve funcionários do munícipio e empresas que fornecem urnas.

A delegada-geral Emília Ferraz e o delegado Guilherme Torres, titular da Especializada falaram sobre a operação ‘Máfia dos Caixões’, deflagrada manhã desta terça-feira (03/11), por volta das 6h, na Colônia Japonesa, zona norte de Manaus, que resultou no cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão na residência de ex-diretor financeiro de uma secretaria municipal, identificado como Maronilson Barros Monteiro, investigado por corrupção passiva.

De acordo com o delegado, Maronilson utilizava-se da função que exercia e fazia cobranças indevidas de valores a empresários que forneciam urnas para a respectiva secretaria.